quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Um acto de amor...

Quanto é que é preciso amar alguém para o deixar partir?
Qual é a medida do amor que nos torna capazes de abdicar de alguém?

Terminei nos últimos dias mais um livro de Picoult.... desta vez ela escreve sobre um amor tão grande, que permitiu que um homem acedesse ao desejo da esposa de terminar com a sua dor... Ela tinha uma neoplasia e estava em fase terminal, agonizando com dores e com a incerteza do que ainda estava para vir... Entre outras questões, a autora aborda o tema da eutanásia.... Esse tema tão controverso, mas que acho que são muito poucas as pessoas que realmente compreendem o que significa...

E hoje.... algures a meio de uma conversa a propósito do mesmo tema, manifestei o meu desejo... quero que quando o momento chegar, me deixem morrer....
Não é a primeira, nem será a última vez que afirmo que não me assusta a morte.... o que realmente me aterroriza é o sofrimento... a dor imensa e completamente desprovida de sentido, que atormenta aquele que sabe que tem o destino traçado....

Claro que compreendo o apego e a angústia daqueles que vêm partir os que amam.... mas não será a capacidade de deixar partir um gesto mais demonstrativo de amor, do que o egoísmo que aprisiona junto de nós os que sofrem sem sentindo?

Imagino que hajam muitos que pensam de uma forma diferente da minha... e, de forma alguma, censuro essas pessoas... mas trago na alma todo o sofrimento que os meus olhos já absorveram, e nada posso desejar para mim para além do direito a optar por viver com dignidade e morrer da mesma forma....
Porque amar é muito mais que lutar... muitas vezes o maior gesto de amor é simplesmente desistir.....

5 comentários:

Lia disse...

concordo contigo... o que assusta mesmo é sofrer e fazer sofrer os que nos amam por tempo indeterminado! Prefiro a morte! Dói? sim, mas faz-se o luto e começa a cicatrizar a ferida...

TM disse...

Lia - E mais do que aquilo que nós obtemos... é aquilo que permitos aos outros...

Caia disse...

Quando alguém está em sofrimento, muitas vezes deseja-se que a dor termine... mas nunca que a decisão passe pelas nossas mãos.

Já tive uma despedida e custa, dói mesmo muito. Saber que são as últimas palavras, que no dia seguinte aquela vida já não está entre nós. Não desejo a ninguém...

spritof disse...

Nem sei o que dizer, mas concordo com o príncipio.

Violet* disse...

Não podia concordar mais contigo... chega a ser até egoismo querer manter uma pessoa viva a sofrer só porque as amamos e nao conseguimos encarar a sua perda.

Adorei o teu cantinho, parabéns =)*