sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

The words left unspoken...

"Not long ago a friend of mine told me about how long we have to tell someone about our fellings.
It seems that words have a deadline... about 4-5 days.
So i wonder: if words are only usefull to translate fellings and they have a 4-5 days deadline until they are useless, do fellings have a deadline to?
Is it real that after a 4-5 days period your felings don't mean the same, their power is smaller and the happiness or pain they give you will be over?
Unless the words are spoken, will fellings disapear?
I think not! Better, i know they won't...
You can leave the words unspoken, but the fellings will be there. They can even fade away... time can make them less important but will never loose their meaning.
Words can be left unspoken, fellings can be silenced, but they will be there.
So, if you allow me to give a advice... don't leave words traped inside your heart, cuz you'll need their space for other words... for other fellings."

18 de Agosto de 2006

Countdown...

3...

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

O maravilhoso mundo das relações...

"Kept playing love like it was just a game
Pretending to feel the same
Then turn around and leave again

... como se fosse apenas 1 jogo
fingindo sentir o mm
e dps voltar as costas e sair novamente....

Ontem fui sair com amigos.... e ao ouvir estas palavras dei por mim a pensar no maravilhoso mundo das relações... (ou ralações???!!!)
Provavelmente é defeito pessoal mas há coisas que não entendo... e acima de tudo que não me fazem sentido...
Não é da minha longa lista de relacionamentos que retiro estas questões e conclusões, mas talvez porque penso demais surgem-me muitas dúvidas.
É inevitável a necessidade do ser humano em ter uma companhia ao seu lado, ou pelo menos o desejo que tal seja real, mas a que preço isso acontecerá?
Não pretendo que pensem que sou descrente em relação, mas não compreendo a atitude de muito boa gente que por aí se passeia. Acima de tudo acho que deveria ser feita uma separação entre aquilo que são realmente relações e aquilo que é um deixa andar....
Lembro-me de ainda no outro dia estar a falar com um casal conhecido que me levantava o problema de porque as mulheres agora estarem solteiras... Bem na verdade eles são professores e ligavam esta "preocupação" com o facto de desta falta de relações advir naturalmente uma diminuição das crianças que nascem para propagar a espécie.... lol...
Mas na realidade é completamente compreensível a sua apreensão....

Será q nós descobrimos que vai uma longa distancia entre ter alguém e ter um companheiro, e sendo que naturalmente procuramos uma companhia não estamos pra nos dar ao trabalho de aturar um qualquer só para ter alguém ao nosso lado, que na verdade nem está realmente ao nosso lado?

....como se fosse apenas 1 jogo
fingindo sentir o mm
e dps voltar as costas e sair novamente....

Ao pensar em tudo isto algo me salta à vista... Porque esta falta de frontalidade? Qual é a dificuldade das pessoas em assumirem que tem alguém ao seu lado apenas para satisfazer certas necessidades que não implicam necessariamente um companheiro.
Ok, mas vamos lá ser honestas e assumir que a "culpa" de tudo isto não é apenas do maravilhoso sexo frágil!
Sim, porque os brilhante elementos do sexo oposto também tem por hábito deixar-se envolver nesta tão conveniente farsa...
Não seria tão mais simples se todos nos tivessemos a coragem para assumir aquilo que realmente queremos... porque existem os homens que apenas nos interessam para ter alguém e não são necessariamente os companheiros que desejamos!!!
Mas é tão mais fácil não é?

"Só estás sozinha porque queres, porque tu podes ter qualquer homem que quiseres!"
Mas será q quero....
Para que o quero eu?
Porque posso ter um qualquer... mas será que vale a pena?
Não tenho assim tanto jeito para dramas e representação, para andar a viver uma farsa e como um amigo meu me disse uma vez esta coisa dos amigos coloridos tem muito que se lhe diga....
Mas não deixa contudo de me fazer imenso prurido cognitivo esta farsa que tantos se deixam representar, porque assim têm alguém mesmo não tendo alguém ao seu lado...
Neste maravilhoso mundo das relações é tão mais fácil fingir sentir o mesmo até ao momento de voltar as costas e sair até que a próxima farsa nos una a alguém...

Quem ler isto pensará que sou descrente, q não amo, q não acredito, mas isso não é verdade!
Eu acredito nas relações (nas verdadeiras relações), eu amo e também espero o momento em que terei um companheiro, mas não será 1 qualquer, porque como já disse não tenho jeito para farsas.
Não tenho jeito pra fingir, eu também gosto de perguntas e respostas directas, de frontalidade, e por isso prefiro não ter nada a ter algo que não seja real....

... como se fosse apenas 1 jogo
fingindo sentir o mesmo
e dps voltar as costas e sair novamente...."
19 de Maio de 2007

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Arriscar...

"Subitamente desvanece o mais paralizante dos sentimentos....
Flutuo na imensidão de possibilidades que emergem no horizonte....
Entrego o meu corpo aos prazeres da adrenalina que inunda a minha alma....
Num trilho repleto de incertezas não permito que me vençam os desvarios da escuridão....
Na inesperada liberdade descubro a doce vertigem que o futuro encerra em si..."
10 de Janeiro de 2008

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Terei....

"Tens uma determinação invejável, e ao mesmo tempo "assustadora"."

....
Será que tenho?
Em alguns momentos pergunto-me se serei tudo aquilo que os outros vêem em mim.... se tenho realmente aquelas características de que falam...
Onde é que é compatível essa pessoas que eles descrevem com a pessoa assustada e cheia de medos que sinto ser em tantos momentos....
Onde me irão levar os meus sonhos... as minhas vontades.... e minhas "lutas" para os transformar em realidade?
Se sou essa pessoa determinada de que falam, porquê todas estas dúvidas face a um futuro que desejo tanto....
Em tantos momentos sinto-me alguém completamente diferente da pessoa que descrevem... e pergunto-me se terei tudo aquilo de que falam...
Terei???

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Perguntas...

Qual é o tempo certo das coisas?
Porque será que nuns momentos um segundo dura uma eternidade e noutros a eternidade parece terminar ao fim de um segundo?
Será que os sentimentos têm um tempo certo para acontecer?

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Ai que sorte...

Logo eu que nunca me escolhem para nada.... tive a sorte de ser escolhida para estar numa mesa de voto para umas eleições que nem sei bem para o que é....
Ora bem.... traduzindo, nem posso dormir depois de passar a noite a trabalhar e ainda vou ter que faltar às aulas....
Ai que sorte que eu tenho...
ARG.... "!#$%&/"#$%&

Enquanto dormias...

Esta noite, como em tantas outras, perdi-me em pensamentos enquanto o sono não chegava...
E se o meu corpo reclamava pelo descanso que lhe pareço continuamente negar, a minha mente fervilhava de perguntas, dúvidas e sentimentos...
Queria te fazer mil perguntas ainda que saiba que tens tão poucas das respostas que procuro....
Queria simplesmente me abandonar naquele lugar especial que por onde me perco quando me abraças...
Mas tu dormias e por isso silenciei os meus lábios...
Enquanto dormias questionei-me sobre o que nos reserva o futuro... de coração apertado perguntei a mim mesma quais são as possibilidades de os nossos sonhos se transformarem numa realidade tão deliciosa como a que sonhámos....
Não nego a mim própria que o que conheço de ti é apenas uma parte da pessoa que és... mas enquanto dormias não consegui afastar a certeza de que conheço quem és....
E enquanto eu tentava adormecer inundava-me a vontade de estar junto de ti... e dizer-te ao ouvido o quanto te amo....

Perguntas...

Será que é possível duas pessoas verem da mesma forma?
Como podemos nós ver coisas diferentes quando olhamos para um só objecto?
Afinal como podem existir tantas formas de olhar?

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

E cá está mais um...

Mais um semestre...
Mais uma lista de disciplinas potenciais causadoras de muitas dores de cabeça e a requererem uma dose qb de estudo...
Ai que esta coisa dos sonhos tem muito que se lhe diga...

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

As caixas...

Hoje enquanto fazia uma série de arrumações, e em simultâneo fazia a lista do que tem como destino me acompanhar na minha próxima aventura, dei por mim a pensar no sentido de carregarmos connosco o passado...
Será que por levar menos caixas carrego menos recordações?
A verdade é que nunca fui daquelas pessoas que transforma um guarnapo numa reliquia, mas isso não implica que eu esqueça o momento em que ele foi usado...
Tendencialmente opto por guardar apenas uma quantidade bem reduzida desses conjunto de recordações... e quando olha para aqueles mini-baús de memórias é curioso como são as palavras e as imagens que vão ficando....
Comigo levo poucos objectos mas tantas coisas....
Então, a lista é curta e as caixas são poucas, porque é na minha alma que carrego as memórias do meu passado....

Histórias de uma morta anunciada...

"O titulo é estupidamente deprimente...
Mas não é minha intenção que quem quer que leia estas palavras fique triste... Para isso basto eu....
Esta palavras falam de amor, daquele que vivemos, daquele que damos.... e daquele que gostaríamos de continuar a dar....
Amar é fácil, surpreendemente fácil!!! É muitíssimo mais fácil amar que aceitar que vamos deixar de poder dar o nosso amor a alguém que queríamos ao nosso lado para sempre.
No momento em que escrevo estas palavras o tempo abatesse sobre nós, marcando na nossa breve passagem por este mundo o seu peso inegável... e nós vivemos... sobrevivemos...
Dizem que a esperança é a ultima a morrer, hoje não sei se isso é verdade. E talvez até seja preferivel que não o seja.
É tão dificil aceitar que alguém que amamos vai partir... Que aquela presença mais que habitual, que aquela companhia que se instalou no nosso coração e na nossa alma, vai deixar que fazer parte do nosso dia a dia...
A disparidade de atitudes face a vida é assumidamente normal, cada um de nós se guia por uma estrela diferente. Assim, a diferença de atitudes face a uma morte anunciada também é natural... Compreender a incapacidade de aceitar a perda de alguém que amamos é tão fácil.... Eu sei-o tão bem... Eu sei porque pressinto que as perdas na minha vida se vão acrescendo....
Compreender a incapacidade de aceitar a morte é surpreendemente fácil... mas é estranhamente mais traquilizador assumir aquilo que a vida nos irá dar, ou melhor, aquilo que a vida nos vai tirar... Aceitar a fatalidade vindora é assustador, mas a paz que nos traz consegui-lo imagino que possa diminuir a angústia...
Ultimamente existem demasiadas perdas em minha volta... e eu compreendi que nem sempre a esperança é a última a morrer... é tão ou mais importante aceitar do que continuar a ter esperança.
Aceitar não implica que deixemos de amar aqueles que vão partir, aceitar não implica que os nossos sentimentos se alteram... mas simplesmente a angústia face ao inevitável é menor... O amor permanecer... sempre...
Afinal nem sempre a esperança é a última a morrer, porque mesmo depois da morte o amor fica, permanece...
Face a uma morte anunciada a esperança é ridicula, o amor esse sim é aquele que irá morrer em último. Minto, o amor não morrerá em último, porque mesmo depois da morte o amor fica."
18 de Janeiro de 2007

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Perguntas...

Alguém me explica porque é que os gajos, quando me voltam a encontrar, me perguntam sempre se já casei?
Eu alguma vez lhes disse que achava o casamento uma coisa gira?

A Ilha...

"Às vezes lamento ser como sou... não consigo perceber como posso ouvir tudo aquilo que dizem de mim e depois os factos serem incoerentes com tudo o que é dito...
No intímo da minha alma, a solidão mostrou-me mais de mim própria que qualquer outra pessoa alguma vez conseguirá mostrar. Ela mostrou-me o melhor e o pior de mim... Aprendi a viver com tudo aquilo que sou, mas mesmo assim existem momentos em que não é fácil coexistir comigo.... A solidão mostrou-me que nos piores momentos o desespero não funciona, porque hei-de sempre encontrar em mim a força para dar mais um passo... Descobri que não tenho medo de viver só... que a vida n1a ilha isolada não é assim tão dramática quanto isso...
Há dias nesta ilha em que o sol não brilha apesar de não haver sequer uma nuvem a cobrir o céu azul... há dias em que a chuva teima em cair e não lavar a poeira que esconde o brilho das pedras que formam esta ilha...
Neste ilha, a sucessão das estações do ano não acontece como nas outras, aquilo que é suposto acontecer não acontece... depois na noite nem sempre nasce o dia... Tem noites em as estrelhas não brilham no firmamento...

Aqui perdida neste mar, estupidamente longe das outras ilhas, as árvores abraçam-se numa vegetação luxuriante que ninguém ousa descobrir... Para lá da densa floresta existem maravilhas que dizem estonteantes, mas talvez demasiado assustadoras....
Nesta ilha, aprendi a amar as maravilhas que ela encerra. Aprendi que o sol pode não brilhar, que a chuva não lava o que devia lavar, que nem sempre as estrelas surgem no firmamento, mas que mesmo assim isso não impede esta ilha de ser um recanto único e inigualável...
Aprendi a viver só...... Mas nunca esqueci que para além da ilha existe um mar imenso... e algures para lá desse mar existem outras ilhas, outros mares e outros continentes!!!
Talvez um dia alguém saía do mar para descobrir esta ilha, talvez um dia a floresta deixe de ser assustadora para ser apenas mais um recanto para alguém descansar do sol escaldante. Talvez um dia o sol brilhe e a chuva lave toda a poeira que se instalou... Talvez um dia.........."
14 de Março de 2007

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Perguntas...

Why shouldn't I want it all?

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Num momento...

Relembro com um sorriso a doçura da tua voz e pergunto-me se a eternidade fará com que eu a esqueça...
Será que já passou assim tanto tempo desde que te perdi?
Como posso eu esquecer aquele instante em que os teus olhos assustados travavam uma luta para fazer reviver a tua voz.... querias compreender o que se passava contigo... mas como poderia eu ter-te dito o que os meus olhos viam.... como poderia eu ter-te dito para partires se o que mais queria era manter-te do meu lado...
Pergunto-me se naquele momento em que o teu corpo conspirava contra ti, ainda sentias a calor da minha mão na tua....
Falam eles de esperança e justiça... e sinto eu a dor não te ter ao meu lado... Tu... a pessoa mais humilde e bondosa que conheci até hoje...
Como podem eles falar... como podem eles compreender.... como podem eles compreender o quanto me sufoca esta tua ausência...
Passou um ano... mas pergunto-se se a dor seria diferente se tivessem passado mil... porque sei que quando apenas passava um dia a dor era a mesma...
Não consigo deixar de sorrir ao pensar na sorte que tive em te ter... mas ainda assim as lágrimas correm pela minha alma por teres partido...
Hoje faz um ano que partiste... não é amanhã... amanhã apenas passou um ano do momento em qe o teu coração deixou de bater... enquanto que hoje passa um ano daquele momento em que foste traida pelo destino... daquele momento em que te transformaste na mais doce boneca de trapos deu alguma vez existiu...
A ti minha doce A.... que num momento dizias ter frio e no outro vivias assustada num olhar silencioso.... a ti entrego a minha saudade... deixo-te o amor que sinto por ti... para que sempre o leves contigo...
Minha doce A., que a tua força me mostre o caminho da minha vida... que a tua bondade me acompanhe... que a recordação do teu abraço acalme esta dor de não te ter....

As borboletas e o sol....

"Sinto tanta falta do sol... do calor...
As borboletas gostam de sol, de sentir aqueles raios cheios de energia positiva a impulssionar as suas asas...
Eu e a minha precisamos de sol. Do sol q nos aquece a alma... De sentir o seu calor na pele!!!
Estou fartas de dias escuros, de me sentir triste... Estou saturada dos dias em q me apetece chorar, e dps as nuvens parecem me afastar mais ainda da alegria...
Eu, Borboleta, venho por este meio reivindicar que chegada da primavera... Pelo brilho do sol, e pelo cheiro das flores!!! Estou cansada de estar escondida neste casulo sombrio de algodão... Preciso de sol e calor!!!
Estou cansada de chuva e tristeza... Preciso de sol e alegrias...
As borboletas vivem ao sol, e eu preciso de sol pra me aquecer a alma...
Reivindico o sol, a calor e a alegria!!!"

3 de Fevereiro de 2007

Perguntas...

Sou só eu, ou esta coisa húmida que anda a cair do céu está já a perder o graça?

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Palavras...

"Nas palavras guardamos o mais intimo q existe de nós. Ocasionalmente possibilitamos aos outros q nos conheçam através dessas mms palavras.
As palavras são algo poderoso... com elas comunicamos. Por meio de palavras mostramos aos outros q nos rodeiam o qnt os amamos, mas tb por meio de palavras infligimos dor.
Mas nem smp as palavras se libertam, nos libertam, por vezes é no silêncio q encontramos a forma de escolhermos as palavras certas..."
11 de Maio de 2007

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Perguntas...

Será que deveremos sempre tentar mudar os outros?
Será que os outros são sempre "mudáveis"?
Em que momentos devemos nós nos resignar àquilo que não nos agrada nos outros?

Desafio...

Ainda que não sendo propriamente a pessoa que mais se entusiasma com essa coisa dos desafios não posso deixar de aceitar aquele que me foi lançado....
Então aqui vai a lista de 6:

... adoro lingerie...
... no dia em que perdi a minha doce A., uma das mulheres que mais admirava neste mundo, deixei de conseguir acreditar em Deus....
... a minha viagem de sonho tem como destino a Austrália e a Nova Zelândia....
... o animal que mais me fascina é a baleia de bossa...
... tenho uma profissão que pela qual me apaixonei mas que pretendo abandonar assim que possível...
... prefiro me arrepender por ter feito uma escolha errada do que por ter ficado parada....

Bem não me parece que seja o suficiente para me conhecerem, mas ainda assim fiz a minha parte... Quanto a passar o desafio.... Neps...

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Caminho...

Aqui sentada, à janela, deixo que os meus olhos se percam nos caminhos da minha vida...
Penso nos caminhos que percorri até aqui chegar, e questiono-me se em algum momento seria quem sou hoje se não os tivesse percorrido...
Talvez por teimosia... ou apenas aquilo que alguns chamam de persistência... insisto em percorrer os caminhos que eu escolho para mim, ao invés daqueles, que ainda que eventualmente mais seguros, não nascem de uma vontade minha....
E neste momento, como em tantos outros, penso em todos aqueles que estiveram ao meu lado nesses percursos... naqueles com quem me cruzei... nos que me ajudaram a seguir em frente... nos que estiveram um momento.... e nos que estiveram sempre do meu lado....
Não nego aquele sentimento mais incerto que vive em mim e me faz pensar se terei escolhido o caminho certo... ou se irei sequer seguir este caminho até ao fim... mas ao lado desse sentimento incerto e cruel vive uma luz que me aquece a alma... uma luz que me sussurra que escolhi o caminho certo....
Li as palavras que falavam de escolhas e caminhos.... e renasceu em mim a certeza que as nossas escolhas, ainda que nem sempre sendo as que nos proporcionam tudo o que procuravamos, serão sempre as certas... simplesmente por serem nossas....
Então sigo em frente no meu caminho.... E aqui sentada, percorro hoje com os olhos o caminho que em breve percorrerei de corpo e alma....

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Perguntas...

Como podemos nós nos libertar das palavras que nos ficam presas na alma?
De que forma nos poderemos libertar do silêncio que nos sufoca e ao mesmo tempo no acalma...

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Na escuridão...

"Quando em nosso redor a luz é uma utopia tudo parece mais dificil...
Se na nossa vida por algum motivo o sol desaparece e nos sentimos perdidos na escuridão os mais simples gestos tornam-se insuportáveis...
Para a maioria das pessoas numa noite escura de chuva o som de um trovão é simplesmente assustador, mas para mim que apenas vejo a luz intensa que me guia na escuridão o som não importa...
Quando nos sentimos sós e perdidos na escuridão que é estarmos sós um raio de luz é tão mais importante que o som que sobressalta o nosso coração...
Aqui debaixo desta chuva implácel procuro por ti raio de luz q me mostrarás o caminho e iluminarás os meus passos...
Lentamente percorro o trilho que se cria em frente aos meus pés trémulos e instáveis...
Em cada passo descubro algo de mim própria que já sabia existir mas que a escuridão afastou do meu conhecimento...
Neste caminho que insisto em percorrer a escuridão é tão avassaladora que continuo a desejar o conforto que o poderoso som trás consigo...
Desejo-te raio de luz que assustas todos em meu redor mas que iluminas os meus passos e me acompanhas...
Na imensa escuridão o que poderia ser mais importante que alguém que gentilmente segurasse a minha mão....
Preciso do estrondo de luz que me ilumina o caminho... preciso de uma mão que me acompanhe..."
12 de Outubro de 2007