quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Perguntas...

Será que existe uma escolha que agrade a todos?
Será em que algum momento da nossa vida conseguiremos escolher uma opção que satisfaça gregos e troianos?

Nudez....

No contacto de minha pele com a tua gélida imensidão descubro a razão da minha existência....
Percorro as memórias acumuladas na ânsia de proteger a magia que apenas tu consegues libertar em mim....
Permito que me inunde a tua intensidade com a promessa renovada de desvendar a força que se esconde na minha escuridão....
O teu sumptuoso manto que me envolve contém a calidez que protege a nudez na minha alma....
Não nego os meus medos e nem sequer as minhas dúvidas, pois encontro no mais frágil que existe em mim a valentia que me trará a utopia da prometida felicidade...
Envolvida por ti e embalada pelos doces sussurros que os lábios do destino sopram, abandono-me á incerteza dos sonhos prometidos...

Planos....

Na nossa vida tendemos a fazer planos em inúmeros momentos.... com esta ou aquela função procuramos delinear o que irá acontecer... aquilo que iremos fazer...
Mas de uma forma qb desconcertante a grande maioria dos acontecimentos que nos marcam são os que não constavam nos nossos planos...
E depois como conseguiremos justificar a forma como o que não planeavamos veio substituir os nossos planos....
Então de que vale fazer planos....
Não sendo a frustração o mais agradavél dos sentimentos, em alguns momentos o que nos é trazido pelo inesperado consegue suprimir essa desagradável sensação para nos fazer esquecer os nossos planos...
Porque fazer planos é diferente de sonhar... de desejar... de imaginar....
Os planos são coisas limitadoras... que nos impedem de nos abandonarmos ao ritmo da vida....
Hoje olho em redor e penso naquilo que desejo para mim... naquilo com que sonho.... mas não quero fazer planos.... porque estou demasiado cansada de os ver ruir....
Hoje quero me abandonar ao ritmo da vida... ao ritmo dos meus sonhos e desejos.... abraçar o inesperado e com ele fazer o melhor que puder.... viver...

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Provocando...

Eu... sabes o que tenho vestido?
Ele... ....
..... meias?
Eu... Apenas a vontade de ti!

...........................

domingo, 28 de dezembro de 2008

Perguntas...

Why do we keep on waiting for a miracle to happen if we don't believe in miracles?

Refúgio....

Os pés percorrem o caminho que nos separa...
A cada passo o meu coração vai-se libertando do peso que o oprime....
A minha alma grita.... suplica a paz que encontra nos teus braços....
Cada pedaço do meu corpo anseia pelo teu toque.....
Nos meus lábios o desejo pelo alivio que os teus trazem....
E os nossos corpos fundem-se no oásis deste cruel deserto....
A ânsia do desejo apazigua por momentos a dor que a distância trás...
Esqueço o mundo que nos rodeia... porque aqui sou apenas tua....
E.... anestesiada por este momento de paz.... deixo-me embalar pelo teu abraço e os meus olhos perdem-se nas ondas que vejo para lá da tua janela...........

sábado, 27 de dezembro de 2008

new year resolutions....

"Nesta altura do ano é suposto revermos aquilo q fizemos no ano que passou e tomar decisões.... decidir o que queremos da nossa vida, aquilo que pretendemos de nós próprios e dos outros....
Este ano decidi que quero ser feliz, mas que para o fazer não pretendo mudar nada em mim... Decidi que não vou mudar, mesmo sabendo que essa falta de mudanças pode me magoar...
Enquanto olhava o relógio a esperava aquele momento mágico que marca o inicio de um novo ciclo, as lágrimas que me sufocavam a alma fizeram-me aperceber que não quero mudar, que não devo mudar!!!
Eu sei que muitas vezes dou demasiado de mim... mesmo sabendo que os outros podem nem sequer ter noção do quanto dou de mim, continuo a procurar o melhor pra eles... No fundo esqueço-me de mim, ou talvez não....
Não espero deste ano que se inicia hj milagres.... eu sei o que o futuro encerra em si.... sei q a dor vai ser muito forte, que para o ano haverá pessoas que não estarão mais entre nós... Assim como também sei que vão continuar a estar longe as pessoas que amo, e de quem senti tanta falta hoje... Sei que algumas coisas não voltarão nunca mais a ser o que foram no passado.... Mas, mesmo sabendo de tudo isto, e porque me conheço sei que não irei mudar... desisti de tentar... Sou quem sou, e quem me ama, estará ao meu lado pelo que sou e não por aquilo que deveria ser!!!
Não nego que me sinto magoada, não sou nem quero ser capaz de fingir que me é indiferente esta dor que aqueles que amo me provocam.... mas eu sou assim, continuo a dar o melhor de mim ao outros, e não me arrependo...
Inicio este ano envolta em lágrimas, mas não são lágrimas de ressentimento, de mágoa, de revolta. Pura e simplesmente são lágrimas porque me sinto triste, porque me doi dar e não receber... mas decidi continuar a fazê-lo mesmo sabendo q as coisas não irão mudar.
Decidi que vou ser feliz, não vou procurar a felicidade mas vou recebê-la de braços abertos... Sei que nem sempre será fácil ignorar aquilo que pressinto... mas não vou deixar de viver aquilo que sinto, porque o quero viver, porque quero ser feliz!!! E se a felicidade decidir surgir no meu caminhos eu não vou fazer desvios parar a evitar, sejam quais forem as consequências.
No fundo, estas resoluções para este ano que se inicia não encerram em si nada de extraordinário ou estupidamente diferente.... Apenas decidi viver a minha vida, aceitar o q ela me der: as lágrimas, o sofrimento, a mágoa e a tristeza; os risos, os sorrisos, as alegrias e o amor... Porque a vida me mostrou que não serei menos feliz se evitar o sofrimento, já que no final apenas ficaram as doces recordações dos momentos que passamos e partilhamos com aqueles que amamos, que nos amam... E se eles me amam é pelo que sou!!! Por isso decidi não mudar nada em mim...
Vou continuar a dar o melhor de mim aos outros, e depois... bem depois se o vida decidir que irei receber algo, recebê-lo-ei de braços abertos..."

1 de Janeiro de 2007

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Perguntas...

Como seria o mundo se fosse justo?
Como seria a nossa vida de vivessemos num mundo justo?

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Perguntas...

Será que basta querermos para ser natal?
O que é o natal......

A minha Filha...

"És para mim uma pedra preciosa,
sendo eu jardim e tu, de mim, uma rosa.
Agora cresceste é natural voares com tua asa,
mas digo-te um segredo:
fazes-me falta em casa.
Em ti prolongo os valores e muitos sonhos que tive,
olho para ti sinto orgulho,
do que de mim em ti vive."

............................

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Magia...

No ar paira o encanto enebriante do perfume da felicidade...
Contam-se e recontam-se as promessas dos sorrisos e dos afectos renovados...
Procuramos em nós a essência de plenitude alheia...
As dádivas acumulam-se e os sorrisos esgotam-se....
Reinventam-se recordações que conservamos cientes do seu incalculável valor...
E na magia que se finda reencontramos a origem de esperanças renovadas...

24 de Dezembro de 2007

Delirio...

De olhos fechados deixo-me levar pela tua voz que sussurra aos meus ouvidos....
Nos teus lábios o sorriso que nasce das promessas do prazer ansiado....
Por detrás da venda que cobre os teus olhos sinto o brilho com que eles esperam pelo encontro dos nosso corpos....
Perco as minhas mãos no teu cabelo que à tanto tempo me enfeitiçou.........
Nesta ânsia demasiadas vezes reprimida os nossos corpos procuram-se das mais diversas formas.....
Na vertigem da impaciência que me corrompe procuro os teus lábios com os meus e na minhas mãos desfaz-se a venda com que tentava ocultar quem sou....
Perco-me em cada recanto de ti e reencontro-me nos teus olhos castanhos que reflectem cada pedaço de mim........
Com as minhas mãos guio as tuas pelos caminhos do nosso desejo........
Novamente me chamas com essa voz que me enlouquece e sinto o meu corpo estremecer.........
Por momentos deixo de saber quem és tu e quem sou eu, porque apenas consigo nos ver a nós, que nos perdemos no devaneio de uma promessa reinventada........
Na ressaca da tempestade que os nossos corpos criaram descubro o abrigo dos teus braços que me envolvem ao ritmo da tua voz que me embala.......

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

O inevitável....

Em alguns momentos da nossa vida parecemos perder o controlo sobre a direcção em que seguimos.... E em momentos como esses, para aumentar o nosso desespero a vida parece não seguir os ritmos normais que deveria seguir... E como se de um carro desgovernado se tratasse, o embate contra um qualquer obstáculo parece o desfecho mais provável....
Mas ainda assim, e se fizermos uso de um sem números de capacidades desconhecidas, conseguimos retomar o controlo da nossa vida, e sair minimamente incólumes desse suposto desastre eminente...
Porque nem sempre a vida segue o rumo que gostaríamos, mas se nos adaptamos ao rumo que ela segue, poderemos tornar o inevitável em algo que não o é.... contornado os desastre e sobrevivendo às amolgadelas que sofremos no processo...

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Perguntas...

"Why does it always rains on me?"

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Amar....

O amor é o sentimento mais poderoso e mais ambíguo que existe....
Apenas quem não conhece o amor espera que ele seja uma troca justa, mas nunca esse sentimento se revestirá dessa característica... da justiça... e ainda assim isso não o irá tornar menos belo e intenso....
Não podemos esperar receber tal sentimento na mesma medida em que o damos, e se o fizermos estaremos a viver um sentimento que não é o amor....
Porque um amor é um sentimento que não se mede, apenas se sente....
Eu não amo mais ou menos que tu, ou seja quem for, porque ambos amamos e se somos diferentes podemos amar de forma diferentes... e ainda assim amar....

De mãos abertas

"A menina perguntou:
- Como se faz para manter um amor?
- Pega num pouco de areia e fecha a mão com força.
A menina assim fez e reparou que quanto mais forte apertava a areia com a mão, com mais velocidade a areia se escapava.
- Mas assim a areia cai!!!
- Eu sei. Agora abre completamente a mão.
A menina assim fez. Veio o vento forte e levou consigo a areia que restava.
- Assim também não consigo mantê-la na mão!
- Agora pega outra vez num pouco de areia e mantém a mão semi aberta como se fosse uma colher. Suficientemente fechada para protegê-la e suficientemente aberta para lhe dar liberdade.
A menina experimentou e viu que a areia não se escapava da mão e estava protegida do vento.
- É assim que se faz para manter um amor?
- Se queres muito alguma coisa, deixa-a livre. Se ela voltar será tua para sempre, se não, é porque nunca foi tua de verdade."
autor desconhecido

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

O que eu preciso...

Ela... se precisares de alguma coisa diz
Eu... mas o que eu preciso não podes ser tu a dar-me
Ela... eu sei, mas....
Eu... ..................

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Perguntas...

"Haverá algo mais verdadeiro do que ser pessoa entre a multidão?"

Um ano depois...

Hoje que os sorrisos são algo quase impensável, parece algo incoerente a recordação do sentimento que vivia há um ano atrás....
Foi um dia de uma felicidade tão intensa que a simples recordação faz o meu coração se retrair na dor da saudade...
Sinto a tua falta princesa... do teu cheiro... do teu olhar... do teu toque... minha doce Princesa....

Cansada...

Por estes dias sinto o meu corpo a contrariar todos os esforços que faço para me manter nas minhas actividades ditas normais.... e em quase noventa por cento dos momentos apenas me apetecia me enrolar na cama e esquecer o mundo lá fora...
Estou cansada de lutar contra problemas que nem seque sei de onde vieram...
Pedem-me opções e respostas que não tenho e sinceramente não sei onde as irei encontrar...
E neste momento em que nada parece fazer sentido assombram-me aquelas palavras de inúmeras pessoas que dizem não compreender como eu consigo fazer tudo o que faço no meu dia-a-dia... porque em dias como hoje, nem sequer eu sei como as consigo fazer....
Gostava de fingir que os problemas não existem....
Gostava de conseguir libertar o meu coração deste peso que o impede de bater num ritmo normal e sereno...
Gostava de sorrir não apenas com os lábios, mas também com a alma...
Gostava que tu me ouvisses e compreendesses que a minha vida terei que ser eu a vivê-la... terei que ser eu a cair e me levantar sozinha....
Gostava de tantas coisas que nem sei se consigo dizê-las todas...
Mas essencialmente gostava de poder acordar deste pesadelo e libertar o meu corpo deste cansaço que me oprime a alma...
E tudo porque gosto tanto dele... e porque gosto de ti....

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Sede

"Neste deserto em que vagueio as distantes nuvens insinuam-se numa dança que tortura os meus lábios sequiosos pela sua doce essência....
Nos meus olhos resplandece o fogo em que a minha alma se consome....
A minha pele definha na ausência do milagroso liquido que atenua o seu sofrimento....
Neste árido inferno em que a chuva teima em não cair as miragens que surgem no meu caminho serenam a minha loucura.... apaziguam os meus desvaneios...
E a infima gota que se balança nos meus dedos transforma-se na minha língua na chama que incendeia o desejo que renasce em mim...."

6 de Março de 2008

domingo, 14 de dezembro de 2008

Frases...

"É sobre pessoas que cometem erros e que tentam fazer o melhor que podem. É sobre ser humano, sobre cair e erguer-se de novo."

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Perguntas...

Como é que se pode permanecer sentado à espera de uma tempestade que sabemos que pode arrasar tudo em nosso redor?

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Os homens e o cabelo... ou a falta dele....

"Oh meus caros amigos, quem foi a brilhante alminha que vos disse que as madeixas são uma forma de vocês se tornarem mais bonitinhos?
Pessoalmente eu, que até sou adepta da simplicidade, acho que certas e determinadas tentativas, no que ao cabelo dos homens diz respeito, não só se tornam demasiado extravagantes como roçam os limites do ridículo...
Depois acham estranho quando se proclama que É dos carecas que elas gostam mais... Pois claro, qual a mulher que gostará de andar a passear alegremente um génio dos adereços capilares que decide usar o seu cabelo para tapar (mas não esconder!!!!) a sua careca.....
Sendo eu mais adepta da naturalidade, e particularmente no que ao cabelo ou à ausência deste se refere, acho que vos favorece muito mais assumir aquilo que são... até porque meus caros, É dos carecas que elas gostam mais......"
23 de Março de 2008
(para ti, para que percebas que afinal não somos apenas nós mulheres que temos dramas com o cabelo)

Perguntar...

há alguns meses
Eu... mas eu não acho que haja interesse em perguntar apenas por perguntar, apenas pergunto aquilo que efectivamente estou interessada em saber, e que penso que me vão responder
Ele... oh mas tu és diferente e isso está provado.

.....

nos últimos dias
Eu... posso te fazer uma pergunta
Ele... claro
Eu... .............
Ele... já me querias perguntar isso há algum tempo não é
Eu... sim

Ai ai....

E depois ainda dizem que não há nada pior que a cadeira do dentista.... então imaginem o grau de tortura de estar sentada numa cadeira e ver o cabelo cair em madeixas enormes....
A vontade de gritar para que essa tortura termine imediatamente só é acalmada pelo receio de parecer um pouco louca...
Venha o dentista e a cadeira, desde que a gaja da tesoura se mantenha bem longe....

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Depois de meses...

Hoje, depois de alguns meses, e foram mesmo meses, vou-me sentar no sofá depois do jantar....
Será que ele ainda me reconhece?
Bem também se não reconhecer é melhor que se lembre rápido...
(ou não tivesse eu que ainda ir trabalhar....)

Calma...

Sendo que em tantos momentos a vida parece tomar um rumo muito diferente daquele que esperavamos, ou até mesmo daquele que desejavamos, a nossa reacção perante o inesperado é algo que vai ter uma importância fulcral no rumo das coisas...
Na verdade a capacidade de se permanecer calmo, perante uma situação de stress, é, tendecialmente, uma característica que nasce com cada um de nós, e que, quando trabalhada, poderá se tornar ainda mais útil....
A nível profissional essa capacidade, que julgo possuir, veio me ajudar a lidar com um sem número de situações, em que a adrenalina ameaçava tomar conta de todos... mas pergunto-se se num extremo, ser-se calmo não poderá nos tornar insensíveis....
Pessoalmente, não sinto que isso seja verdade, mais que não seja pela incontáveis vezes em que senti o meu corpo a tremer face às emoções extremas que vivia, mas que ainda assim mantive algures para me permitir a mim mesma enfrentar todos os desafios que me eram impostos... mas ainda assim questiono-me....
Em que lugar vive o limite que separa a calma extrema da gélida insensibilidade?
Será que poderemos ser eternamente e constantemente calmos?
E será que é bom ser-se fazer sempre o controlo das nossas emoções?
Onde vivem os limites da calma?

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Outros tempos...

Dizem que mudam-se os tempos, mudam-se as vontades... mas serão apenas as vontades que se mudam com o tempo, ou será o tempo uma desculpa para eventuais mudanças...
Na verdade seria insensato esperar que o tempo não operasse em nós quaisquer mudanças, mas ainda assim é estranho ver como o tempo em que existimos nos torna tão diferentes das pessoas de outros tempos...
Noutros tempos as pessoas, que eram simplesmente pessoas, como eu e qualquer outra pessoa, eram substancialmente diferentes da pessoa que eu sou hoje... e por isso me pergunto se no caso de ter existido noutro tempo eu teria sido diferente, e se essa diferença iria permitir que eu permanecesse quem sou....
Em algums momentos das nossas vidas gostariamos que algumas pessoas de outros tempos vissem o mundo através dos nossos olhos.... mas surge uma nebelina que parece tornar impossível que ela consigam ver o mesmo horizonte que nós vemos....
Hoje gostaría que o sol viesse para levar consigo essa nebelina, e para que algumas pessoas conseguissem ver o mesmo horizonte que os meus olhos vêem... e que vissem o quanto um horizonte, que ainda que sendo diferente, é estupidamente belo.....

domingo, 7 de dezembro de 2008

Embora doa...

É a duvida que resta,
Que me leva a perguntar…
Qual papel sera o meu?
O de quem nada faz?

Embora doa, nada fiz para mudar.
Embora doa, nada vai mudar.

E revemos nas imagens que não passa de um esboço…
Escolhem os senhores da guerra os motivos a seu gosto…

Embora doa, nada fiz para mudar.
Embora doa, nada vai mudar.

Porque nada surpreende.
Já vivemos com o medo.
Quem nos chama a razão?
Ao som de armas adormeço…

Embora doa, não me faz perder o sono.
Embora doa…

Escorre sangue pelo ombro em directo na tv
Explode a carne em mãos de quem nada fez
Embora doa, não me sujo desse sangue
Embora doa, há sempre outro canal
Embora doa…Embora doa, não me sujo desse sangue
Embora doa, ha sempre outro canal.
É a duvida que resta que me leva a perguntar…

sábado, 6 de dezembro de 2008

Perguntas...

Será que as coisas têm um tempo certo para acontecerem?
E se algo acontecer antes de tempo ficará diferente?
Qual é o ritmo certo para se viver? Será ele sempre igual?

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Os limites...

Eu... porque é normal sermos assim
Ele... e se assim for, quem nos segura?
Eu... nós próprios
temos q ser menos sensatos de quando em vez
mas temos também que ser nós próprios e conhecer os limites da nossa insensatez
...

Demorou, mas foi...

Mais de 3 meses depois terminei o livro que andava a ler...
Facto inédito em alguém que muitas vezes foi chamada de papa-livros...
Mas teimosa como sou, ainda que a ler 2 ou 3 páginas de cada vez lá foi.... e 580 páginas depois venci...
Venha o próximo!!!

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Fúria...

"Por breves momentos apodera-se de mim a miragem do mais estonteante dos oásis que povoam este deserto....
Agonizo na doce inquietude que me domina....
Na minha pele sinto a tensão que apenas o teu toque consegue serenar....
Descubro no teu corpo a essência dos anseios que me atormentam...
O ensurdecedor som deste trovão que nasce em nós é o mais leviano dos sinais da tempestado que os nossos corpos tentam recriar....
Nos teus olhos encontro o ímpeto que os meus lábios te sussurram....
Com os meus dedos percorro o teu corpo ardente....
Permito que o arrebatamento que me atormenta se apodere dos nossos corpos ao ritmo da loucura que nos corrói....
Reinventamos no vórtice do desassossego a que nos entregamos a farsa que ludibria as almas alheia....
Ilusóriamente satisfeitos permitimos que se atenuem os olhos dos outros o desejo que em nós apenas se recria e renasce...."

14 de Janeiro de 2008

Tirar medidas...

Ele... achas que consegues sair?
Ela... mas afinal tu passar a vida com a apalpar o meu rabo e ainda não percebeste que ele é pequeno!!!

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Perguntas...

Será que quando vamos de férias as nossas preocupações nos acompanham num qualquer recanto da bagagem?
Ou será que somos nós que definimos o que vai na bagagem, e se existe espaço para tais coisas?

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Vórtice...

"Com as minhas mãos reinvento a intemporal beleza com que alguém esculpiu o teu rosto....
Percorro cada recanto do teu corpo com os meus lábios redescobrindo a intensidade dos sabores que existem em ti....
Nos meus olhos espelha-se o brilho que o prazer por nós partilhado vai deixando no teu olhar.....
Algures nesta doce loucura os nossos corpos perdem-se nas memórias de quem somos.....
Ao teu ouvido sussurro a melodia que as tuas mãos fazer soar nos recantos do meu corpo.....
Nesta tempestade de sensações procuramos da forma mais imprudente o vórtice que acalma o desejo que existe em nós...."

23 de Março de 2008

Perguntas...

Alguém me explica porque é que algumas pessoas se divertem a dar vários nomes a uma única coisa, e depois a tentar inventar diferenças para as tornar em coisas diferentes????

Não se vê...

Sabes, é que, na maior parte dos casos, a dor não se vê.
.....

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Mesmo o que me apetecia....

Eu... sabes o que me aconteceu logo de manhã?
....
Ele... então tiveste que mudar o pneu
Eu... pois
Ele... eu não gosto nada de mudar pneus
...
Eu... sim eu adoro, por isso é que escolhi fazê-lo para começar o dia
....

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Doces...

"De uma forma bastante natural, associamos aqueles pequenos grandes pecados que nos adoçam a alma a algum momento, ou até mesmo a alguém....
Aquela pessoa que nos delicia com a sua especialidade, que tantas vezes tem apenas o segredo do amor com que as suas mãos nos ofecerem....
Nesta altura tão deliciosa, em que até o mais inocente dos coelhitos nos presenteia com inúmeros ovos de chocolate, dou por mim a vaguear num paraíso de doces pecados...
E nesta doce nostalgia navego entre as filhóses de abóbora acabadinhas de fazer e as broas que só a minha avó sabia fazer... E mais doce que qualquer uma delas apenas as recordações que elas me trazem...."
23 de Março de 2008

domingo, 23 de novembro de 2008

A força....

"A minha vontade moldará o meu futuro. Quer eu falhe, quer eu consiga, só será devido a mim e a mais ninguém. Eu sou a força; posso vencer qualquer obstáculo à minha frente, ou perder-me no labirinto. A escolha é minha; a responsabilidade é minha; ganhar ou perder, só eu possuo a chave do meu destino." E.M.

Esperta....

....
Ela... e que é feito da tua irmã?
Ela... está bem... a trabalhar.... e desta vez parece que vou ter um cunhado
Ela... ai sim
Ela... pois, ele ia lá e ela fazia-lhe uma massagens, e depois...
Eu... hum... a tua irmã é muito esperta, antes de escolher apalpa bem o terreno
....

sábado, 22 de novembro de 2008

Perguntas...

É impressão minha ou os meninos andam de castigo?
(dúvida que surgiu ao vê-los todos sentados à porta das lojas num centro comercial....)

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Insuficiente...

"Há dias nas nossas vidas em que aquilo que temos nos parece tão pouco, tão fugaz que nem conseguimos ver o quanto realmente temos....
Hoje foi um desses dias.....
Ando à tanto tempo a pensar nos dias que sol que é ridicula a forma como me sinto hoje.... a precisar de mais sol, de mais calor.....
A verdade é que me soube imensamente bem andar apenas com uma leve camisola e sentir-me perfeitamente bem, ou melhor.... sem frio.....
Mas porque é que não conseguimos ficar satisfeitos com aquilo que temos?
Se tenho a perfeita noção que faço parte daquele relativamente restrito grupo de pessoas que não deveria ter motivos para se queixar, porque sinto tanta necessidade de algo mais?
Onde moram os limites da satisfação humana? Será que algum ser humano conseguirá em algum momento estar plenamente satisfeito?
Se consigo dominar o meu egoísmo e ter a perfeita noção que existem demasiadas pessoas com tão menos que eu, com tantos mais problemas, porque é que os meus problemas não se esfumam na sombra dos problemas dos outros?
Gostava de me sentir realizada com o que tenho, de não olhar no espelho e sentir que não passo de um reflexo da mesquinhez que contagia tantos outros.....
Gostava de me sentir bem com este dia de sol, que me parece tão frio......"

31 de Março de 2008

Gerir...

Por estes dias dei por mim a lembrar-me daquele senhor que durante uns bons tempos andou a torturar os escassos neurónios que poussuia na altura, apregoando o quanto a gestão é fundamental nos mais diversos aspectos da nossa vida....
E se na altura eu olhava para os seus cabelos brancos e tentava perceber onde fora ele desencantar uma paixão tão intensa por essa coisa de gestão, como se não tivesse mais nada que fazer na sua vida, hoje ao olhar para a incapacidade de certos personagens em gerir o seu tempo, e necessitando eu de fazer uma ginástica diária para gerir o tempo que não tenho, com todas as coisas que requerem a minha atenção, as suas palavras soam um pouco mais interessantes...
Afinal, por que raio é que alguém que tem apenas como preocupação estudar pode se queixar da falta de tempo, quando eu ando aqui a esticar ao máximo as minhas capacidades, para conseguir gerir tudo o que me é exigido....
Dizia-me alguém que precisa de ser organizar melhor, para conseguir maximizar o tempo que tem e torná-lo rentável.... ou seja, que precisa de gerir melhor a sua vida.... e eu fiquei a pensar em como se adquirem essas capacidades organizacionais...
Na verdade, eu assumo que tenho a mania de gostar de ver as coisas no lugar certo, e por estes dias sinto em que o tempo escasseia, sinto essa necessidade a aumentar.... talvez seja uma forma de rentabilizar aquilo que sou e aquilo que tenho ao meu dispor....
E no meio de tantas tentativas de viver o melhor possível, vai permanecendo aquela reacção quiçá alérgica às queixas de X e Y, que dizem não ter tido tempo para assumir as suas responsabilidades... É que agora também tenho que gerir a minha paciência.....

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Perguntas...

É só impressão minha ou eu sou um bocadinho nova demais para ter filhos com 20 anos...?

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Crescemos???

À força de nos últimos dias tanto ter ouvido falar nisso que é crescer, dou por mim a pensar no que realmente é essa coisa de crescer....
Será que nos tornamos adultos apenas por acumularmos uma determinada quantidade de anos?
E será por me sentir mais ou menos adulta, que o serei na mesma proporção?
Quando se junta um grupo de amigos que conhecemos à tantos anos que já lhes perdemos a conta, e começamos a olhar para o quanto eles estão crescidos, surge aquela imagem que o espelho nos devolve todos os dias, e que nós insistimos em não conseguir ver o quanto mudou....
A verdade é que parece que apenas os outros conseguem ver essas mudanças qb subtis que nos transformam em outro alguém que ainda continua a ver quem somos, mas que em alguns momentos temos dificuldade em reconhecer....
E será que por nos sentirmos crescidos que os outros nos vão deixar de ver como aquelas crianças que existiram em tempos?
Talvez crescer seja um exercício demasiado complexo para ser feito apenas na perspectiva de uma pessoa, mas ainda assim julgo que apenas nós poderemos fazer com que o exercício de viver nos permita crescer...

No one...

I just want you close
Where you can stay forever
You can be sure
That it will only get better
You and me together
Through the days and nights
I don't worry 'cause
Everything's going to be alright
People keep talking they can say what they like
But all i know is everything's going to be alright
No one, no one, no one
Can get in the way of what I'm feeling
No one, no one, no one
Can get in the way of what I feel for you, you, you
Can get in the way of what I feel for you
When the rain is pouring down
And my heart is hurting
You will always be around
This I know for certain
You and me together
Through the days and nights
I don't worry 'cause
Everything's going to be alright
People keep talking they can say what they like
But all i know is everything's going to be alright
No one, no one, no one
Can get in the way of what I'm feeling
No one, no one, no one
Can get in the way of what I feel for you, you, you
Can get in the way of what I feel
I know some people search the world
To find something like what we have
I know people will try try to divide something so real
So till the end of time I'm telling you there ain't no one
No one, no one, no one
Can get in the way of what I'm feeling
No one, no one, no one
Can get in the way of what I feel for you, you, you
Can get in the way of what I feel for you

(acompanha esta letra a memória de um concerto fenomenal e de uma voz maravilhosa)

E se esticar o tempo?

Para menos de uma semana temos:
... estudar para dois testes, partindo do principio que é suposto tirar uma nota minimamente decente...
... a entrega de dois relatórios de práticas, um dos quais acabo de descobrir que já deveria estar praticamente feito....
... três turnos de trabalho potencialmente esgontantes....
.... e se possível, comer, dormir e se não for pedir muito respirar....

domingo, 16 de novembro de 2008

Fazes bem...

Ela... ah, mas tu estás a estudar?
Eu... sim, estou a tirar outra licenciatura
Ela... ah sim, em quê?
Eu... em BM
Ela... oh, aquilo que tu sempre disseste que gostavas
Eu... pois...
Ela... acho que fazes bem T., fazes muito bem

3 years latter...

Como que se de um facto efectivamente importante se tratasse, hoje lembrei-me que existo na minha profissão há 3 anos.... e enquanto por momentos me parece que nem sequer 3 segundos passaram, em outros tantos momentos sinto-me como se pesassem 300 anos sobre mim....
Na verdade, sobrevivo numa profissão pela qual me apaixonei, e que ainda que tenha que assumir que me permitiu inúmeros momentos de realização pessoal, vai sugando uma parte de mim, da qual não me sinto pronta a abdicar....
Talvez esta, como qualquer outra paixão, apenas consiga brilhar no passado em que não me sentia a dar demasiado de mim...
No fundo, é curioso como algo que me moldou, venha realçar ainda mais a minha necessidade de ser algo diferente....
E hoje, quando passaram apenas 3 anos, e não os 300 que em tanto momentos sinto pesarem sobre mim, sinto-me cansada de assistir a injustiças que não consigo justificar, a sofrimento que não consigo mitigar....
Ainda que abandone esta minha profissão, nunca deixarei de ser aquilo que sou hoje, mas no momento em que se esgota aquilo que posso dar de mim, procuro à superfície o ar que esta realidade me impede de respirar....
Hoje, passados 3 anos.....

sábado, 15 de novembro de 2008

Perguntas...

Ãlguém me explica porque é que agora se descobriu que é giro fazer publicidade com carros brancos???

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Sonhos vazios...

"Primeiro o intenso sabor da canela que da forma mais subtil disperta os teus sentidos... depois o suave poder do açúcar que torna tudo mais prazeiroso e agradável.... perdida na mistura destes dois sabores esqueces tudo e apenas te concentras naquela forma agradável de conquistar os teus sentidos...
Mas de repente o vazio.... quando pensavas que te ias deixar levar pelo conteúdo daquele sonho intensamente suave e agradável não existe mais nada....
Quantas vezes? Quantas vezes o cruel vazio te disperta para a realidade e não permite que te abandones ao prazer de viver um sonho?
Será que é um crime quereres saborear um sonho? Quem foi que decidiu que tu não tens o direito de viver o prazer intenso da canela? Em que momento o destino tomou o poder de impedir de saborear os doces momentos a que te abandonaste ao te alimentares de um sonho?
Os sonhos são aquelas coisas de aspecto sublime que deliciam o teu olhar e com as quais julgas que poderás alimentar a tua alma...
Infelizmente o conteúdo nem sempre faz justiça ao que nós num ébrio instante pensamos poder ser real... A aparência é a mais subtil ilusão que se nos apresenta e em demasiadas vezes não corresponde ao que desejaríamos do interior de um sonho...
E quando surge o vazio ficamos perdidos entre a misturas de prazeres prometidos e o nada que se apresenta.... "
27 de Novembro de 2007

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Perguntas...

Será que é necessária uma lágrima para descobrirmos o verdadeiro sabor de um sorriso?

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Frases...

Sabes, é que ainda que nos façam sentir muito leves... os sentimentos são um assunto muito sério.....

O inesperado....

Em alguns momentos da nossa vida, é curioso como encontramos a satisfação, ou até mesmo a plenitude, num conjunto que pensamos que estava largamente distante daquilo que seria o ideal para nós....
A verdade é que desperdiçamos tanto da nós a sonhar com algo, que muitas vezes esquecemos todas as outras opções que existem, e depois quando elas surgem o atrapalhamento inicial é algo curiosamente interessante....
Hoje como em outros momentos da minha vida, sinto-me que ela me mostrou algo que eu, por opção ou simplesmente ingenuidade, não tinha visto até ao momento....
E no momento em que nos entregamos ao inesperado, aceitando tudo o que ele nos pode dar, a surpresa inicial transforma-se numa sensação de plenitude que parece ser muito mais apelativa que a que encontraríamos nos nossos sonhos.....
Aprender que a perfeição não existe é um passo importante do nosso crescimento pessoal, e nele conseguimos descobrir como a felicidade por existir no inesperado....

Perguntas...

Qual poderá ser a justificação para alguém que insiste em nos fazer ver o mundo pelos seus olhos?
Afinal onde para o direito à diferença?
Eu não vou gostar de amarelo porque os outros gostam!!!!

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Entre eles....

... hei para onde é que estás a olhar?
... eu?
... sim tu! não te esqueças que tens namorada...
... oh ele... ele de vez em quando alguém tem que o lembrar disso

....................

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Momento....

"Percorremos a infame distância que nos separa na ânsia de iluminar com os nossos sentidos a escuridão que se impõe aos nossos olhos....
Com os teus lábios segredas a melodia que percorre a minha pele...
Enebria-me a fragância de ti....
Nos teus olhos encontro a tempestade que o meu corpo anseia por pacificar...
Com as tuas mãos navegas a minha pele ao sabor das ondas de volúpia que nela reinventas....
Irremediavelmente enredada pela teia da lascívia, procuro nos teus lábios os sabores da doce tortura....
Nos teus braços descubro a quíetude que apazigua a chama que incendia o meu corpo....
Sequiosos, percorremos este eterno deserto em busca do nosso oásis de prazer....
Neste turbilhão de desejos partilhados multiplica-se a avidez de um novo reencontro..."

29 de Janeiro de 2008

Pontualidade...

Ainda que eu não seja propriamente o exemplar mais british no que diz respeito à pontualidade, não deixa de me faz algum prurido a leveza com que demasiadas pessoas levam essa coisa da pontualidade....
Serei só eu, ou quando o horário de entrada ao trabalha de alguém são as 8h da mannhã é efectivamente suposto que a pessoa dê o ar da sua graça a essa hora? Mais ainda quando existem pessoas que dependem da sua pontualidade para seguir com a sua vidinha, ao invés de ficar ali à espera que sua excelência dê o ar da sua graça....
A naturalidade com que alguém fica perplexo porque lhe estão a ligar quando "apenas" está 15 minutos atrasada e não avisou nada desse pequeno precalço é realmente espantosa... mais ainda quando essa naturalidade se repete demasiadas vezes e os 15 minutos se vão arrastando para outras somas muitos menos interessantes....
Eu até compreendo que o trabalho pode não ser propriamente o mais motivante à face da terra, mas se não o é para eles, já usaram os neurónios que chegar à brilhante conclusão que também não o é para os que gramam em ficar à espera que suas excelências os venham substituir....
Ai eu, e as minhas manias.... enfim.....

Sentir...

Hoje como sempre essa coisa do sentir é algo extremamente complexo e até mesmo controverso....
Porque se em muitos casos nos privamos de sentir com medo do que há-se vir... em outros tantos finge-se o sentir, com medo de não viver para o conseguir....
A verdade é que muitos sentimentos encerram em si uma dimensão tal, que parecem nos esmagar com a sua intensidade, mas no momento em que nos libertamos do medo, para nos entregarmos ao sentir, parece que se desvanece o medo daquilo que poderá um dia deixar de existir....
Hoje decidi sentir... porque ainda que não saiba o que poderá aí vir, não quero viver na sombra do medo... e então escolho o sol que brilha na vertigem deste sentimento....

domingo, 9 de novembro de 2008

Aqui....

"Aqui sentada onde a plenitude de mim envolve o vazio da minha própria solidão questiono-me sobre a tua magia....
E a cada pergunta nasce a certeza de existir em ti a força que suporta cada um dos meus passos neste sinuoso caminho que a saudade me impele a percorrer....
Quando as minhas lágrimas encontram a tua imensidão subitamente deixo de sentir o sal que elas carregam para apenas conseguir alcançar a tua perfeição imperfeita....
Os meus sentidos reunem-se para saborear a tua intensidade....
Escolhi um caminho que me leva a ti por saber que é nele que existe a pessoa que eu desejo um dia ser....
Nesta praia em que as recordações me torturam com a sua doçura oiço o sussurrar com que me chamas para o teu abraço gélidamente protector...
Neste local onde me invade a certeza que serei eternamente tua, da forma como nunca serei sequer minha, é a tua imensidão que serena a dor que em demasiados momentos se apodera de mim....
Entrego-me a ti por saber que existe em ti a utopia da minha plenitude....
Ainda que viva na certeza que nunca serei algo mais que uma infima parte de ti, caminharei sempre para ti por saber que és o caleidoscópio da minha alma... e por saber que nos teus braços serei sempre apenas mais uma, e ainda assim sentir-me-ei como a mais desejada de todas...... "

5 de Maio de 2008

sábado, 8 de novembro de 2008

Frases...

"O homem que tem coragem para desperdiçar uma hora do seu tempo não descobriu o valor da vida."C.D.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Multitasking....

Por estes dias dou por mim a fazer uma gestão qb curiosa deste tempo que vai sendo cada vez mais escasso para fazer tudo aquilo que gostaria de fazer....
É que por mais que procure, os relógios com ponteiros de elástico andam em parte incerta e então encontrar soluções para resolver esse problemazito...
Mas então enquanto vou a conduzir, a mandar sms's e a cantarolar feliz da vida... ou quando faço vou fazendo outra coisas em simultaneo, sinto-me relativamente mais descansada por fazer parte desse sexo dotado dessa capacidade inata de distribuir e sua atenção para várias direcções num único momento....
Hei, não somos perfeitas... mas isto também não pode ser só desvantagens....

Everything....

You're a falling star, you're the get away car.
You're the line in the sand when I go too far.
You're the swimming pool, on an August day.
And you're the perfect thing to say.

And you play it coy but it's kinda cute.
Ah, when you smile at me you know exactly what you do.
Baby don't pretend that you don't know it's true.
'cause you can see it when I look at you.

And in this crazy life, and through these crazy times
It's you, it's you, you make me sing.
You're every line, you're every word, you're everything.

You're a carousel, you're a wishing well,
And you light me up, when you ring my bell.
You're a mystery, you're from outer space,
You're every minute of my everyday.

And I can't believe, uh that I'm your man,
And I get to kiss you baby just because I can.
Whatever comes our way, ah we'll see it through,
And you know that's what our love can do.

So, la, la, la, la, la, la, la
So, la, la, la, la, la, la, la

And in this crazy life, and through these crazy times
It's you, it's you, you make me sing.
You're every line, you're every word, you're everything.
You're every song, and I sing along.
'Cause you're my everything.
Yeah, yeah

So, la, la, la, la, la, la, la
So, la, la, la, la, la, la, la

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Transparente...

Por estes dias dou por mim a transparecer o que me vai na alma, sem sequer me preocupar que os outros estão a ver o mais intímo de mim, sei que estou transparente, mas será que o sou?
O que afinal isso de ser-se transparente?
Em que momento é que algo adquire essa capacidade de se deixar atravessar pelo olhar de alguém? E será que depois de o ser poderá, quando desejar, deixar de o ser?
Sei que aquilo que os outros vêem é apenas uma parte de mim, e por isso questiono-me até que ponto seremos efectivamente transparentes, se num determinado momento da nossa vida deixamos que os outros vejam uma parte de nós....
Na verdade sei que apenas permito que algumas pessoas me conheçam verdadeiramente, mas no entanto sinto-me estranhamente confortável.... Não que em algum momento tivesse sentido a necessidade de esconder dos outros aquilo que sou, mas não encontrando uma justificação plausível para publicitar quem sou, não o fiz...
E então questiono-me ser essa transparência tem algum prazo de validade.... se hoje sou transparente sê-lo-ei amanhã?

Frases...

"Good girls go to heaven.... bad girls go everywhere..."

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Perguntas....

Será que a nossa felicidade só pode existir quando os outros também são felizes? Mais, será que ela apenas tem direito a existir nessas condições?

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Distância...

Ele... sabes que há uma grande vantagem na tua situação
a distância
Eu... como assim?
vantagem????
que raio de vantagem é essa
Ele... a distância custa mas é muito importante para reforçar os afectos
Eu... sim eu compreendo
se sentes a falta de alguém algo se passa
Ele... pois é isso

Perguntas...

Alguém me explica porque cada vez que eu sequer insinuo que sou um anjo a gargalhada é geral?

E tu, acreditas?

Por estes dias começa a inundação de mil e mais uma coisas referente ao Natal... e então dou por mim a pensar no quanto, nesta quadra, se apela à capacidade que todos temos em acreditar....
A verdade é que eu pessoalmente já à algum tempo que deixei de acreditar no senhor de idade maior que supostamente anda por aí a carregar um imenso saco de coisas boas...
Por uma lado essa descrença é motivada por uma incapacidade de lidar com a ingenuidade que esperam de mim, mas por outro causa-me algum prurido cognitivo esse consumismo desenfreado que se apodera das pesssoas nestes dias...
Quanto será que temos que dar para que se instale um clima de felicidade e harmonia?
Felizmente tenho as recordações de inúmeros momentos de felicidade partilhados, mas curiosamente eles não envolvem nem o senhor de idade maior nem sequer os desmandos do consumismo...
Porque efectivamente existe nesta quadro uma certa magia, e ela reside na capacidade de acreditar, mas será que andamos a acreditar nas coisas certas?

Distância...

"Faz-me falta o teu abraco....
Desespero quando a minha pele suplica pelo teu toque...
Sinto saudades do teu sabor....
Atormenta-me saber que ainda ontem estiveste ao meu lado e eu não fui tua....

E nunca a distância entre nós me pareceu tao cruel...."

23 de Junho de 2008

domingo, 2 de novembro de 2008

Perguntas...

"Como é que isso acontece de uma forma tão rápida, intensa?..."
Será que a rapidez e intensidade com que algo acontece o torna mais ou menos verdadeiro, mais ou menos real?

O nome das coisas...

Ainda que seja completamente compreensível, não deixa de ser curiosa a necessidade que nós seres humanos temos de dar um nome às coisas...
Pergunto-me se deixarmos de chamar isto por X e aquilo por Y, se as coisas serão diferentes....
Na verdade existe todo um conjunto de características que faz com que algo seja efectivamente X, enquanto que Y necessita de um conjunto diferente de características....mas será que é necessário um nome para que algo seja real, que exista...
Pessoalmente sinto que não preciso que as coisas tenham um nome para existirem, ainda que saiba que poderei encontrar alguma segurança nessa mesma definição...
Não sou diferente dos outros, e assim sendo sei que a indefinição disto ou daquilo poderá contribuir para o minha instabilidade... mas em alguns momentos a instabilidade que nasce na necessidade de dar uma nome a algumas coisas poderá ser bem mais castradora....
E neste mundo em permanente mudança, aprender que nada é imutável é aprender a conviver com algumas indefinições... e com as certezas que temos ainda que não saibamos como elas se chamam...

sábado, 1 de novembro de 2008

Perguntas...

Mas porque é que não podemos viver num mundo perfeito?

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Frases...

"Os teus compromissos são respeitáveis apenas se fores responsável por eles. É por isso que os teus compromissos são o mais importante na tua vida."

Quero...

"Nos caminhos que as gotas de água tentaram lavar o meu desejo os teus beijos são o combustível que incendeia o prazer que me atormenta....
Quando os meus olhos se perdem no infinito as tuas mãos reinventam no meu corpo os caminhos que me trazem aos momento em que sou insanamente feliz...
Nos teus braços a minha pequenez é deliciosamente insignificante....
Os murmúrios que sussurras aos meus ouvidos são a melodia que serve de banda sonora a estes fragmentos de felicidade partilhada....
E no instante em que os nossos corpos reinventam a magia o teu olhar tatua na minha alma o mais insondável dos sentimentos...
Quero perder-me nas profundezas das tuas imperfeições...
Deixar-me enebriar pelo teu perfume que o meu coração reconhece na escuridão de todos os meus sentidos...
Preencher o vazio que existe na minha alma com o sabor do teus lábios..."
15 de Maio de 2008

Uma lição....

Por estes dias ando às voltas com os meus maus hábitos...
Porque ainda que compreenda que nem todos sejam iguais, eu estou habituada a que o trabalho em equipa implique que todos trabalhem....
Claro que eu compreendo que a vida é para ser vivida, e que aproveitar aquilo que ela nos pode dar de melhor implica alguns actos menos prudentes... mas não deixa de me fazer algum prurido cognitivo a leveza, ou quiçá irresponsabilidade, com que algumas pessoas a vivem...
Pergunto-me quais as dificuldades que alguém com quem tão poucas responsabilidades pode encontrar para descurar as poucas que efectivamente tem....
Incompreensivelmente, ainda que tenha uma porção bastante mais reduzida de tempo disponível, aquilo que dou de mim é ridiculamente superior....
E então surge a pergunta, se estamos todos a tentar aprender, não poderei também eu lhes ensinar umas coisas.... lhes dar uma lição....

Eterno....

"Vagueio pelos meandros da noite, na eterna procura da luz que o sol teima em me negar...
Nos meus olhos as lágrimas suplicam pela liberdade que o meu coração teima lhes nega...
Envolve a minha pele nua o imenso vazio...
Lentamente os meus pés levam-me na direcção do meu desejo...
És tu quem transforma a escuridão no local perfeito para o encontro das nossas almas...
Conduzes as minhas mãos pelo teu corpo numa doce súplica...
Com os teus lábios recordas-me o caleidoscópio de emoções que a minha alma um dia ousou sentir....
O teu sorriso traz aos meus olhos um brilho que embaraça a mais reluzente das estrelas...
E no momento em que a escuridão desvanece, as incertezas desfazem-se, e sobre os nosso corpos brilho um sol eterno..."

22 de Junho de 2008

Para...

Por estes dias decidi publicar por estes lados uma série de textos que escrevi algures.... texto que alguém me disse que não são explicitos, mas que outro alguém disse que as pessoas a quem esses textos são dedicados conseguirão os compreender... e é isso que a mim me interessa....

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Retalhos...



"Inúmeras vezes procuro as palavras que mais fielmente escreverão a minha fábula....
Flutuo na imensidão de silêncios que controem aquilo que as minhas mãos deixam escapar....
Demasiado longe do cume desta minha montanha sinto-me resvalar pelas suas escarpas....
Cá em baixo a manta dos retalhos da minha felicidade parece que nunca será suficiente para aquecer a minha pele que perde todo o seu calor neste inverno infindável...."



24 de Fevereiro de 2008

Menina...

ontem
Ele... acho que tu deves ser a mais velha de todos que estamos aqui à mesa...
Eu... pois, também me parece

hoje
Ela... a menina é a T.?
Eu... sim, sou
....

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Perguntas...

"E achas que os impulsos são maus?"

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Enganar o inverno...

"Estou aqui sentada a ouvir o vento a assombrar tudo e todos com os seus rugidos mais desanimadores que assustadores, quando oiço as tentadoras palavras "enganar o inverno", e mais depressa que a própria luz dou por mim deitada num qualquer paraiso tropical a saborear os raios de sol que aquecem o meu corpo e a minha alma....
Mas depois começo a sentir gotas a escorrerem pelo meu corpo, que afinal não são trazidas pela brisa marinha mas sim pela malfadada chuva... e pronto.... fico estupidamente triste com este inverno que nunca mais termina...
Por motivos profissionais, e claro também por economicamente desagradáveis, as minhas hipoteses de ir enganar o inverno são praticamente as mesmas que eu tenho de ganhar o primeiro prémio do euromilhões ou de desencantar um qualquer principe desencantado carregado de dinheiro e de boa vontade....
Então por enquanto vou vivendo ao sabor dos desamandos brilhantes do velhinho São Pedro, que a esta altura mais que provavelmente terá Alzheimer, ou não tivessemos nós a brincar aos tornados em plena Primavera........"
9 de Abril de 2008

Sensatez...

Hoje dei por mim a pensar no que motiva a agir quando em nós disparam todos os alarmes que avisam de potenciais riscos....
Será que ainda que a facto de avançarmos ou não face ao desconhecido é apenas uma questão de sensatez?
Ou será apenas vontade de viver?

De admirar....

Por estes dias vou perdendo a conta ao número de pessoas que diz que me admira... e perco-lhes a conta porque não encontro motivo nem para as contar e muito menos para tamanha admiração...
Será de admirar alguém que luta por um sonho?
Será de admirar alguém que apenas quer viver?
Lamento, não sou admirável nem nada que se pareça... sou apenas eu....

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Frases...

A melhor forma de não quebrar uma promessa é não a fazendo....

Perguntas...

"hasn't everyone suffered enough?"

Hey there Delilah...

Hey there Delilah
What's it like in New York City?
I'm a thousand miles away
But girl, tonight you look so pretty
Yes you do
Times Square can't shine as bright as you
I swear it's true
Hey there Delilah
Don't you worry about the distance
I'm right there if you get lonely
Give this song another listen
Close your eyes
Listen to my voice, it's my disguise
I'm by your side
Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me
What you do to me
Hey there Delilah
I know times are getting hard
But just believe me, girl
Someday I'll pay the bills with this guitar
We'll have it good
We'll have the life we knew we would
My word is good
Hey there Delilah
I've got so much left to say
If every simple song I wrote to you
Would take your breath away
I'd write it all
Even more in love with me you'd fall
We'd have it all
Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me
A thousand miles seems pretty far
But they've got planes and trains and cars
I'd walk to you if I had no other way
Our friends would all make fun of usand we'll just laugh along because we know
That none of them have felt this way
Delilah I can promise you
That by the time we get through
The world will never ever be the same
And you're to blame
Hey there Delilah
You be good and don't you miss me
Two more years and you'll be done with school
And I'll be making history like I do
You'll know it's all because of you
We can do whatever we want to
Hey there Delilah here's to you
This one's for you
Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me
What you do to me.

domingo, 26 de outubro de 2008

Pequenos grandes gestos....

É extremamente curioso que num mundo em que as pessoas estão tão atentas aos desvarios da humanidade, não usem essa mesma atenção para ver aqueles pequenos grandes gestos que se acumulam para efectivamente fazer a diferença....
Pergunto-me se somos apenas humanos, porque se insiste em actos de super heróis em que um gesto salvaria o mundo.... Não será mais sensato, e mais humanos, viver acumulando pequenos gestos do quotidiano que poderão não salvar o mundo, mas salvar o mundo de alguém.....
Dizia-me alguém que ficou a pensar no que poderia ter feito mas não fez.... e eu pensei em tudo aquilo que fazemos sem pensar... ou aquilo que não fazemos....
Ao longo dos últimos anos aprendi a importância dos pequenos gestos... dos silêncios... das palavras simples e sinceras....
Sei que não posso salvar o mundo... mas se puder apaziguar uma lágrima... se puder puder proporcionar um sorriso teria salvado o mundo de alguém... e quem sabe também o meu...

Irritada...

Ela... olha X. é melhores saberes que a T. está a ficar irritada....
Eu... eu não estou irritada, apenas não gosto de sair ao domingo à tarde....
Ela... então se não te apetecia sair, não precisavas de ter vindo....
Eu... eu apetecia-me sair
só que quando era suposto sair para relaxar andar aqui às voltas porque não tenho onde estacionar e ainda por cima gramar com os condutores de domingo....
não é nada relaxante....

sábado, 25 de outubro de 2008

Vidas de bonecas de trapos...

"Ele estava cansado.... exausto de tanto sofrer....... o seu corpo era apenas um vestigio daquilo que um dia poderá ter sido........
Uma e outra vez a dor levava-o ao abismo da loucura......
Nos seus olhos a sua angústia, e ele questionou-a:
"Menina, será que é preciso sofrer tanto para morrer?"
Apeteceu-lhe responder simplesmente que não, mas ela sabia que não era bem assim....
Numa fracção de segundo um novo rosto, uma nova história, mas esta de tão rápida que sem tempo para ser uma história.... ele estava embriagado, não olhou para o carro que também não o viu a ele.... perdeu não só a perna mas também a vida......
Ela olhava aquele rosto inerte e escutava o eco daquela terrível pergunta..........
Decidiu que não queria para si falsas esperanças........... vidas de bonecas de trapos........."


Desculpa mas preciso de escrever e não sei para quem........
Nem percebo porque te "escolhi"..............
Talvez porque tu me consegues explicar porque algumas coisas acontecem.......... porque não inventas desculpas que não fazem sentido apenas para justificar aquilo que não é justificável.......
Porque é que doi tanto perder alguém que amamos?
Por ter visto esse filme demasiadas vezes aterroriza-me o sofrimento porque passam algumas pessoas apenas para morrer...... A única coisa que posso desejar a qualquer ser humano é uma morte digna e sem dor, e é por acreditar nisso que vou morrendo a cada dia um bocadinho com tudo aquilo que vejo em meu redor.... com tudo aquilo que não está ao meu alcance mudar......

Mas........ e sabendo tudo isto, porque é que não doi menos a rapidez com que se perde alguém que se ama?
Será que a morte alguma vez vai ser justa?
E a vida?...................

Hoje disseram-me que a rapidez desta ausência torna tudo mais dificil......... não acredito nisso mas também não consigo tornar nada mais fácil..........

Porque que é que doi tanto?
......................................."

11 de Fevereiro de 2008
(dedicado a ti doce A., que em tantos momentos me vens relembrar o quanto dói a tua ausência)

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Não compreende...

Ela... tava a falar com o Y e ele disse que agora tem uma namorada
Eu... ah sim...
Ela... sim...
depois eu estava a falar de mim e do Z, e ele disse que não compreende com alguém se apaixona assim
Eu... hum então a namorada dele está cheia de sorte....
se ele não compreende como alguém se apaixona
...........

Causa e efeito...

Supostamente tudo na vida tem uma origem e um fim... mas será que em tudo na vida ambas as partes se revestem de algum interesse?
Naturalmente os nossos actos terão consequências.... mas de que forma poderemos nós distinguir esta situação em que efectivamente apenas nos interessam os actos, daquelas em que o interesse reside nas consequências...
Se eu, num determinado momento apenas quiseres pensar nas causas, estarei a errar por não me interessarem os efeitos...

Frases...

"Sometimes living out a dream ain't as easy as it seems..."

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

E então?

Ele... bem... então qual será o assunto de hoje?
Eu... isso pergunto eu
já deves ter reparado que sou melhor a fazer perguntas q a responder
e então?

Perguntas...

Alguém me explica, assim como se eu fosse muito burra, qual a utilidade da matemática num curso de biologia?

Segurança...

A segurança é algo realmente complexo... e em alguns momento é efectivamente curioso como ela existe sem dúvida alguma, enquanto noutros parece não conseguir existir apesar de todos os esforços...
Lembro-me que em tempos se instalou em mim uma segurança que não respondia a qualquer regras, era incontornável mas ainda assim sentia-me estupidamente segura....
Será que aquilo que sentimos face a esta ou aquela situação é motivado unicamente por nós, ou de que forma conspirará o universo para nos inundar de certezas...
Mais ainda, como poderemos justificar a insegurança que esta ou aquela pessoa nos trás se somos nós que nos sentimos (in)seguros....
É que ainda que a segurança nasça num conjunto de certezas, será seguro esquecer que as certezas podem não ser imutáveis, e que os nosso castelo de cartas pode ruir....
Porque todos desejamos nos sentir seguros, mas como poderemos justificar algo tão dificilmente justificável.... porque a segurança vive de algo tão irracional, algo tão inseguro...

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Frases...

"Sexo é algo que se faz...
Amor
É algo que se faz ...e se sente."

Vazio...

O vazio é uma coisa muito complexa, em alguns momentos demasiado simples....
Não falo em qualquer vazio em que um espaço fica por preencher, falo antes daquele vazio em que sentimos que o que foi preenchido é insuficiente...
O vazio vive em constante luta com a hipotética sensação de plenitude que desejamos possuir, mas não fossemos nós seres humanos constantemente insatisfeitos e poderiamos pensar na utopia de nos livrar do vazio, mas assim tudo parece mais dificil e proporcionalmente mais vazio...
Mas como poderemos explicar o vazio quando o espaço livre é efectivamente diminuto....
O vazio vai crescendo em relação directa com a sensação de insatisfação que de quando em vez nos assola a alma.... e paralelamente o vazio acompanha a solidão, aquela que em alguns momentos nos parece uma excelente companhia, mas em outros tantos parece drenar toda a potencial alegria que tenhamos...
Ea suposto que o vazio fosse a ausência de algo, mas o vazio é muito mais que o momento em que sentimos nos faltar algo... o vazio é tudo aquilo que desejamos e não temos que se completa por tudo o que temos sem desejar....
Porque o vazio está tão cheio de tantas coisas, que não compreendo como poderá ser visto o que efectivamente é... vazio....

Sem vontade...

Hoje acordei sem vontade...
Não tinha vontade de me levantar mas ainda assim aqui estou...
Mais que ceder à minha vontade, hoje tenho vontade de ceder à minha falta de vontade....

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Perigoso....

Ele... a massagem que falas é com aquela?
Eu... não necessariamente, mas olha que é uma excelente ideia...
Ele... mas sabes que isso é perigoso....
Eu... perigoso?
desde quando é que o sexo constitui um perigo???

Perguntas...

Em que momento existem realmente um segredo? Será que o segredo existe para o momento da revelação ou para todo aquele tendo em que ficar por revelar?

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Um questão de sorte...

Dizem que para tudo na vida é preciso sorte, mas afinal o que é essa coisa a que chamam de sorte...
A sorte é algo espontaneo ou poderá ser conquistada com algum esforço e motivação?
Pessoalmente acho que a sorte é algo que surge naturalmente, e ou existe ou simplesmente não existe.... mas paralelamente também me questiono se existe alguma forma de atracção para conseguir possuir isso a que chamam de sorte....
E ainda no que diz respeito à sorte, acho curioso que são muito poucas as pessoas a que chamamos de sortudas que têm uma noção real do quanto são bafejadas por essas conjunturas favoráveis, e sinceramente acho que é, em parte, por não o saberem, que são ainda mais sortudas...
Efectivamente a sorte é algo complexo e extremamente relativo, porque se eu me considero com sorte por ter na minha vida um conjunto de situações que vejo como favoráveis, para outra pessoa elas podem não ou ser, ou ainda que o sejam por as achar insuficientes, não se considerar com sorte...
E no fundo, é tudo uma questão de sorte... ou de sortes....

Procura-se...

Procura-se relógio com ponteiros de elástico... a quem o encontrar o favor de o encaminhar para estes lados....

domingo, 19 de outubro de 2008

Sozinha...

Eu... tu não gostas mesmo nada de estar sozinho por não?
Ele... não, porquê?
Eu... nada, estava só a fazer uma constatação...
Ele... e tu gostas de estar sozinha?
Eu... nem sempre, mas às vezes sim, gosto...

A pergunta... e a resposta....

O exercício que envolve nos questionarmos é um exercício indivídual, mas que poderemos partilhar no momento em que julgamos não encontrar em nós as respostas que desejamos.... mas e que fazer quando sabemos que não será em nós que existem as respostas às nossas perguntas... de que vale nos questionarmos de algo que não poderá ser respondido por nós...
Dizia-me alguém há uns tempos que eu sou diferente porque não faço do exercício de questionar os outros uma mera casualidade sem um objectivo real.... ao que eu respondi que apenas pergunto as coisas que efectivamente quero saber respondidas, e que sei que os outros me irão responder...
A verdade é que em demasiados momentos as nossas dúvidas poderiam ser solucionadas pelos outros, mas onde existe a resposta que os outros não nos querem dar?
E se nos sentimos a cair no vazio da ausência de uma resposta, será que é viável perguntar a que não se sente na necessidade de responder?
Numa determinada altura da minha vida vivi sufocada por um conjunto de respostas que alguém decidiu não me dar.... e ter conseguido ultrapassar o vazio de respostas tornou as perguntas desnecessárias....
Mas se consegui-lo aconteceu num percursso longo e complexo, pergunto-me se existe algum atalho que nos leve ao cruzamento de perguntar ou não perguntar... e no ajude a decidir qual o caminho a tomar....
Porque as respostas podem ser vitais... mas viver da respostas que não temos poderá ser fatal....

sábado, 18 de outubro de 2008

Perguntas...

Em que momento o prazer se reveste de algo diferente.... será o sentimento a única motivação para o desejo?

Who on earth told us to believe in princes?

"Why do we keep on doin'it.....Cuz they aren't for real, there's no such thing as fairy tails, and if someone ever tries to convince you otherwise please do not listen or in the end only your tears will remain to remember you of how you where mislead....

They do not understand how your lonelly soul hungers for something that they could so easily provide you.... Instead they wave you the thing that you most wished for and then, by the moment that you've given up on the wise advices you mind keeps on whispering to you, the destroy every single dream you ever had....
The same way i do not understand why we insist on believing in such things as princes, i can not convince myself that they do not know how badly the keep on hurting us... again and again... using our loneliness in their advantage...
They use us and we allow them to...
Why????
Why do we keep on hoping for the charming prince to come when there is no such thing....
Again and again we tell ourselves that the next time we just might be blessed with such thing knowing that it won't happen...
Cuz even knowing so we still believe, and that's what keeps us going, that we do deserve to simply be happy.
So we keep on waiting for a miracle to happen, for a once ordinary man to see in is soul the same thing we see in our hearts....
The truth is we do not ask for princes.... we only wish that that ordinary man sees with is heart those things our eyes laid upon...."
5 de Agosto de 2007

No cavalo branco...

Ela... ai que ainda por cima estão aqui tantos homens e nenhum me vem ajudar!
Eu... oh senhora, com a sua idade ainda acredita em princípes que vêm para a salvar?

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Palavras e Imagens...

Eu... e já ouviste dizer que uma imagem vale mil palavras?
...
Ele... será que as imagens assustam mais que as palavras?
Eu... sabes que é mais fácil fugir das palavras que das imagens...

......

Perguntas...

Será que em algum momento iremos estar realmente satisfeitos? Será a satisfação possível?

Frases...

"O sexo é o consolo que a gente tem quando o amor não nos alcança."
G.G.M.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Confortavelmente bela...

Ao ler um texto sobre as mulheres e as suas desventuras em saltos altos, dei por mim a questionar o que pode motivar alguém a prescindir do conforto...
Até que ponto a adição de alguns acessórios pode efectivamente tornar um mulher mais ou menos bela... e mais ainda, será que nos momentos que prescindimos de os usar estamos a prescindir da nossa beleza?
Pessoalmente sei perfeitamente o que me motiva para trocar uma sweat-shirt por uma blusa e calçar uns stilettos, e ao contrário do que parece acontecer em muitos outros casos não o faço para agradar este ou aquele personagem do sexo masculino... É que ainda que saiba que poderá ser um facto, a verdade é que fundamentalmente faço-o porque me sabe bem a mim....
Talvez seja mais uma demonstração do meu egocentrismo, mas quando penso em vestir esta ou aquela peça e calçar este ou aquele par de sapatos, faço-o de acordo com o meu estado de espiríto... e se me apetece me aventurar com uns stilettos, porque não o fazer?
Porque o conforto pode ser muito apetecível... mas há dias em que uns mimos devolvidos pelo espelho são estupidamente deliciosos....

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Just another day...

Em dias como hoje, é esperado que estejamos felizes.... esperam de nós sorrisos e boa disposição... mas e se não tivermos vontade de sorrir?
Terei que sorrir apenas porque é o que esperam de mim? Terei de dar importância a um dia que me parece igual a tantos outros?
Hoje é um dia como os outros, e dificilmente conseguirei vê-lo de forma diferente....
É apenas mais um dia....

Frases...

"Porque os sentimentos são muito dificeis de exprimir por palavras."

Mais que um presente...

"Começo a escrever estas palavras ainda profundamente enleada nas palavras doces que acabei de ler, por tão estupidamente sinceras que são....
Acho que deviamos de ter a capacidade de meter em inúmeras caixinhas os nossos sentimentos e envolvê-los com fitas de cetim coloridas para as entregarmos aqueles que amamos....
Demasiadas vezes nos perdemos numa procura frívola daquele suposto presente ideal e apaga-se a magia da simplicidade...
Não que eu esteja minimamente habituada a receber ofertas ridiculamente caras, mas também não consigo ver-lhes aquele valor tão especial que está marcado nos gestos mais simples.... Porque muito mais que aquele monte de papel rasgado que se acumula quando devoramos os presentes que os outros nos entregam, marcaram-me as lágrimas de felicidade que os meus olhos não conseguiram conter ao mergulhar na magia de um convite tão especial....
Repugnam-me os presentes que esgotam os limites do cartão de crédito mas que não fazem brilhar os olhos de quem os recebe ao reflectir as memórias de tantos momentos partilhados.....
Pessoalmente adoro os presentes embrulhado em papeis de cores intensas e envolvidos em fitas de cetim, mas mais que qualquer um desses embrulhos magestosos apaixonam-me os presentes que nascem da simplicidade de um gesto, construídos na magia de um qualquer sentimento....
Como em tudo na vida os embrulhos que mais cativam os nossos olhos nem sempre conseguem fazer o mesmo com o nosso coração...."
13 de Abril de 2008

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Fórmulas...

Por estes dias, em conversa com alguns amigos, sobre as suas confusões amorosas, e algures no meio da conversa ficou em suspenso aquele momento em que era suposto eu dar a minha opinião... e eu, conscientemente, deixei o momento passar...
Claro que eu tenho uma opinão sobre aquilo que me é relatado, mas em que momento é que a minha opinião é válida para alguém que não eu...
Se todos somos diferentes, como podem esperar que algo que supostamente estaria certo, ou teria viabilidade para mim poderá funcionar para outras pessoas...
E mais ainda, em algo tão desregrado e irracional como os sentimentos, como podem esperar que seja possível usar fórmulas para resolver os problemas....
Aquilo que para mim faz sentido, possivelmente não fará para as outras pessoas, e então de que me vale dizer que penso isto ou aquilo, ou ainda que faria deste ou daquela maneira....
Se todos somos diferentes, não seria naquele momento em que nos relacionamos que poderiamos aplicar a todos as mesmas regras.... então esqueçamos as fórmulas que nos dariam segurança e vivamos a adrenalina do desconhecido....

Perguntas...

Mas qual é o fascínio oculto que leva os homens a adoraram se vestirem de mulher?

Os Sapos...

Ela... e vocês sabem o que é o processo de saponização?
Eu... (baixinho)
é o processo através do qual se formam os sapos...
Ela... pois não é bem isso.
Eu... eu sei

As duas... risos............

domingo, 12 de outubro de 2008

O imperfeito...

Quando vivemos num mundo em que tudo e todos procuram a perfeição, onde está a nossa inteligência se sabemos que tal não existe....
No outro dia, algures numa conversa, falou-se de níveis de exigência, e no meio de gargalhadas comentava-se o meu qb elevado nível de exigência, mas o que não foi dito é que ainda que eu saiba perfeitamente aquilo que me satisfaz, também sei que nem sempre vou ter aquilo que quero e que a perfeição não existe....
Não sei nem quero saber viver daquilo que não tenho, e muito menos daquilo que não existe, e sabendo que a perfeição é uma utopia, eu não viverei a minha vida na incoerente esperança de alcançar algo que não existe...
A verdade é que existe uma grande distância entre aquilo que muitas vezes pretendemos, sonhamos e até desejamos, e aquilo que a realidade nos poderá proporcionar...
Então ainda que sendo exigente com o que quero, vou aprendendo a viver com o que tenho, com a imperfeição do dia-a-dia....

Perguntas...

Será que a rosa continuará a ser bela se lhe retirarmos os espinhos?

Gostar...

Ela... fiquei tão triste por ele ter dito aquilo
eu não mereço tanto
Eu... mas sabes que nós nem sempre gostamos das pessoas que gostam de nós
e nem sempre as pessoas que gostamos gostam de nós
por isso não digas isso

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Privacidade...

Por estes dias dei por mim a pensar no que leva as pessoas a se interessarem pela vida do outros, especialmente quando esses outros pertencem a uma esfera em que eles não estão envolvidos, ou que o envolvimento é relativamente remoto....
Afinal em que momento as pessoas adquirem o direito de viver a vida de outra pessoa?
Claro que compreendo que seja normal e até poderá ser considerado aceitável que tenhamos opinião sobre este ou aquele facto, mas como é que essa opinião transpõe o limite do bom senso e vai entre naquele mundo que não é o nosso....
Pessoalmente não dou grande, ou mesmo quase nenhuma, importância ao que se passa na vida dos outros, especialmente quando isso não tem a miníma influência na minha própria vida, e talvez por isso tenha tanta dificuldade em compreender esse interesse....
E se a minha liberdade existe na coexitência da liberdade dos outros, não acho que exista em alguém o direito de vir desmandar naquilo que é meu....
Eu vivo no meu mundo, e nele existem várias pessoas, mas o mundo será sempre meu e não dos outros, e aí está a fronteira que ainda demasiadas pessoas parecem não ver, ou não querer ver.... que a vida que observam não é a deles....

Frases...

"A glória não consiste em jamais cair, mas sim de erguer-se toda a vez que for necessário."

No teu dia... Sonhos doces

"És a coisa mais doce que me acompanhou esta noite... Venceste a árdua batalha contra a saudade que me atormenta, e vieste trazer-me o teu doce toque, a pujante alegria que transborda do teus olhos....
Obrigado Princesinha do meu coração pelo teu sorriso que inundou a minha alma e se reflectiu nos meus lábios...."
18 de Março de 2008
(poderia ter sido hoje.... mas não foi...)

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Chapter One...

All the stars are out tonight it feels as though I might
Make some sense out of this madness will it turn out right
Who's to say where the wind will blow

Time will tell us if we're out of answers when it stops
Climb back down to the beginning
Take it from the top
Who's to say where the wind will blow

What happens when all your dreams are lying on the ground
Do you pick up the pieces all around
And if the world should fall apart hold on to what you know
Take your chances turn around and go

All the leaves are turning and the sky fades to gray
Strange our life coincides with the seasons of today
Who's to say where the wind will blow

What happens when everything is lying on the ground
Do you pick up the pieces all around

And if the world should fall apart hold on to what you know
Take your chances turn around and go

Carry on you say
Bring the best of today
All I see is struggling on the way

Maybe when the sun crashes through the gray
I can find the strength to make it through the day
Through the day

What happens when all your dreams are lying on the ground
Do you pick up the pieces all around

And if the world should fall apart hold on to what you know
Take your chances turn around and go
Take your chances turn around and go

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Perguntas...

Será que precisamos de compreender tudo aquilo com que temos que conviver?
E para aceitarmos algo é mandatório que o compreendamos?

Eles e elas.... e eu...

Se algo me deixa qb confusa são essas supostas diferenças entre os homens e as mulheras....
Claro que não sou ignóbil ao ponto de não conseguir encontrar diferença alguma, mas existe todo um conjunto de preconceitos que são, na minha opinião particular estupidamente irritantes....
Mas quem foi que disse que os homens são fortes e as mulheres frágeis....
Porque é que apenas os homens podem fazer os trabalhos manuais....
Serão apenas as mulheres que complicam....
Em que mundo vive o personagem que decidiu que o desejo e a necessidade por uma satisfação sexual é coisa de homens....
E essa coisa que são os sentimentos, dizem que são coisas de mulheres, mas e os homens....
Efectivamente todos somos diferentes, e também é verdade que esta coisas das relações se torna muito mais interessante por existerem essas mesma diferenças, mas não estaremos a cometer um erro ao partimos do principio que todas elas existem ou sequer que alguma vez existiram....
Serei eu menos mulher por não me sentir frágil, por não ser assexuada, por saber o que quero e por viver a minha vida com qb de pragmatismo...

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Ingenuidade...

Olho em redor e pergunto-me se serei demasiado ingenua por preferir acreditar nos homens do que nos deuses....
Se serei demasiado crédula por ainda acreditar no amor, ainda que não me tenham amado....
É que ainda que conviva diariamente com o sofrimento, sinto a ânsia de viver em pleno a vida....
Esterei errada por perseguir um sonho que alguns dizem que não me vai levar a lado nenhum....
E ainda que saiba que posso cair, sofrer e chorar.... prefiro viver, sonhar e amar....

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Perguntas...

O que é que nos leva a gostar de algo? Como se pode justificar o gostar?

O amor... a paixão... e a atracção...

Porque somos humanos temos invariavelmente sentimentos... mas é curioso a forma como demasiadas vezes o confundimos...
Será assim tão impossível eu olhar para um homem e lhe dizer nos olhos que ele me atrai... mas que não estou apaixonada por ele... e muito menos que o amo....
Que censura é essa que faz ser errado desejar um corpo, sabendo que a alma que com ele vai não é algo que me atrai....
Olho em redor e não posso deixar de ficar pasmada com tantos sentimentos fingidos, e outros tantos confundidos...
Será assim tão estranho eu saber em que momento amei, em que momentos me apaixonei, e saber que me entreguei não fingindo sentir qualquer um desses sentimentos....
Porque amor é........ diferente da paixão..... e ambos são diferentes da atracção.... e é importante saber que ainda que podendo, e idealmente, devendo coexistir... isso pode não acontecer...

Sensibilidade e bom senso....

É realmente curioso como algumas pessoas ainda vivem de uma utopia que acreditam firmemente que é a realidade em que os outros vivem.... Enquanto que na realidade todos somos diferentes e por mais que possamos apelidar este nosso mundo de injusto é o que temos, e eventualmente teremos que aprender a viver nele...
Num mundo feito de desigualdades é estupidamente ridiculo ver alguém que ainda tenta cumprir todas as regras, sem permitir a existência da excepção....
Será pedir assim tanto que se deixe de viver no ideal para viver na realidade?
Claro que eu adoraria pensar que me apetece pegar em mim e me dirigir ao aeroporto para conhecer todos aqueles lugares que me faltam conhecer, mas na realidade tenho um emprego, tenho um sonho que me ocupa o tempo e o orçamento não colabora....
Claro que seria muito melhor se nenhuma criança morresse no mundo por não ter fome, por não ter abrigo... e que não vivesse sem amor... mas no nosso mundo tudo isso existe, e nós temos que viver conscientes desta nossa realidade...
Será pedir muito que alguém tenha o discernimento para saber que uma criança com fome não precisa de um livro para lhe alimentar a alma, mas sim de comida para lhe alimentar o corpo...
Em alguns momentos pergunto-me se terei perdido a capacidade de sonhar... por ter a noção que vivo numa realidade cruel e injusta.... mas não será exactamente o contrário, por saber que vivo numa realidade cruel e injusta, que aprendi o que é sonhar....
Neste nosso mundo feito de regras que existem por existir a excepção, e de ideais e da realidades, não será a capacidade de discernir entre aquele que deveriamos ter e aquilo que efectivamente temos que fará a diferença...

domingo, 5 de outubro de 2008

Distanásia...

"Numa época em que infindáveis considerações são feitas à nossa por demais publicitada eutanásia, não consigo esconder o quanto me corroi a sua arqui-rival... a quase ignorada distanásia.....
Dizem eles que não somos deuses para decidir quando é suficiente o sofrimento de alguém... mas será que o somos para termos direito a prolongar uma vida que desde há muito já não o é?
Felizmente a grande maioria de nós vive na ignorância face ao sofrimento alheio, que diga-se de passagem é um espectáculo demasiado cruel.....
Vivemos numa sociedade em que a morte é um tabu.... diz-se "se eu morrer", embebidos numa estúpida cegueira que não aceita que o elemento mais natural da vida é a morte....
A verdade é que não acredito que possua em mim a força que me levaria a decidir o tão desejado fim.... mas sei que não existe acto mais cruel que não permitir que ele aconteça.....
Quando proclamamos que não somos deuses para decidir a morte convenientemente esquecemos que também não o somos para impor a vida....."
12 de Março de 2008

Incoerências....

A E. perdeu o seu bebé... novamente...
A C. disse-me "sabes é que estou grávida" como quem diz que foi ao supermercado e trouxe um livro...
Uma mulher diz-me que vai abortar porque é o terceiro filho e não tem condições para o criar....
Uma pessoa especial, que sonhou uma vida inteira com o momento em que seria mãe, apaixona-se por um homem que não pode ter filhos....
Uma criança de quinze anos que diz ter dores, não sabe, acha que são contracções, nota-se-lhe o nervosismo...
E no meio de tudo isto fico a pensar nesta coisa que é a vida.... tão louca e incoerente que nos deixa completamente ser norte....
Na verdade existe uma grande distância entre o que é uma criança planeada, o que é uma criança desejada e o que é uma criança amada....
Mas também existe uma enorme distância entre o que é a realidade e o que é a justiça....

sábado, 4 de outubro de 2008

O saber....

Dizem que o saber não ocupa lugar.... mas depois de arrumar uma pilha monstruosa de dociers, livros e afins acumulado ao longo de uma licenciatura, tenho a certeza que o saber ocupa lugar, e também pesa que se farta....

Palavras...

"Para cada um de nós as coisas como elas se nos apresentam têm valores diferentes.... invariavelmente o mesmo acontece com as nossas palavras, meras expressões da nossa forma de viver a vida....
Será que somos (sou) assim tão diferentes uns dos outros que em alguns momentos as palavras que os nossos lábios libertam são simplesmente ignoradas e transformadas em uma completa barbaridade que aquele ser supostamente pensante que temos em nossa frente adquire como a mensagem que nos quereriamos transmitir?
É demasiado óbvio o facto de todos sermos (felizmente) diferentes e por isso termos diferentes formas de viver a vida e consequentemente de pensar... mas em que ponto é que isso possibilita uma completa incompreensão pela aquela menos brilhante alminha que nos olha com um ar de completa compreensão quando está a milhares de kms luz do nosso universo?
A tão suposta aclamada sabedoria que é proclamada pelas pessoas de idade maior tantas vezes nos desilude, quando ouvimos dessas pessoas a expressão da mais completa ignorância face as mais banais factos da vida....
Será que as pessoas simplemente não nos ouvem ou será que a seu belo prazer ignoram aquilo que lhes dizemos que assim lhes convem?
Neste mundo em que existem inúmeras linguagens qual delas podermos utilizar para ultrapassar esta barreira que os outros, e também nós, criamos?
De que valem as minhas palavras....."

18 de Março de 2008

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Perguntas...

Será que apenas conseguimos ver o verdadeiro valor das coisas quando não as temos?
Será que quando desejamos algo realmente sabemos o quanto é importante e depois essa importância se mantem quando as conquistamos, quando são nossas?

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Happy Endings...

Quando ouvimos, lemos ou vemos uma história estamos sempre à espera do momento em que tudo acaba bem, porque tudo está bem.... e esquecemos tudo o que foi vivido para nos recordarmos apenas de um momento breve e fugaz....
Mas será uma história menos feliz por não ter o tradicional happy ending?
Como pode um momento tão curto determinar a intensidade, e mais ainda a felicidade, de todos os outros momentos que partilhamos?
Pessoalmente não considero que seja o final a parte mais importante de uma história... e menos ainda que seja determinante para a intensidade com que foi vivida....
Como poderei eu dizer que não amei alguém, apenas porque não partilhamos o felizes para sempre.... se eu sei que fomos felizes juntos....
Ainda que todos esperem o momento em que tudo acaba bem para poder determinar o interesse relativo de uma história, eu prefiro ler todos os capítulos que a escrevem, e não me cingir àquele em que termina....
Sei que amei, ainda que não no futuro, e ainda que apenas tenho sido feliz no passado....
E ainda que nem tudo acabe bem, é a forma como as memórias se escrevem em nós que ditam o quando uma história foi feliz, não o curto capítulo em que nem tudo acabou bem....

Sou de elástico...

Ela... não vais dormir?
Eu... já vou...
Ela... devias de ir dormir
Eu... eu já vou...
Ela... olha que tu não és de ferro
Eu... pois não
sou de elástico

......

Perguntas...

Hoje alguém falou de momentos menos bons, daqueles que nós gostaríamos que nunca acontecessem...
Mas será que se os dias maus não existissem nós conseguiríamos apreciar verdadeiramente os que são bons?
Não será por nos permitirmos a nós próprios os dias em que nos sentimos pequenos, que conseguímos juntar as nossas forças para os dias em que queremos ser fortes?
Será que quem nunca chora saber verdadeiramente sorrir?

Feriados, fins-de-semana e outras coisas que tais...

Curiosamente vivemos numa sociedade em que todos assumem que as pessoas vão ter o seu tempo livre aos feriados e fins-de-semana, e de tão habituados que estão a que assim seja, nem sequer consideram a possibilidade que funcione de maneira diferente...
Ora então é ouvir as intermináveis queixas à segunda-feira e a alegria desmedida quando a sexta se aproxima...
Mas nem sempre as coisas funcionam nesse ritmo tão socialmente aceite, e muitos de nós trabalham a um ritmo diferente, que por o ser deixa a maioria com uma sensação de estranheza...
E ainda que eu seja mais uma dessas pessoas que vive a um ritmo diferente, não me faz grande prurido que assim seja... o que efectivamente me deixa qb desagradada é que por ser suposto que todos tenhamos o fim-de-semana livre, alguém tenha a brilhante ideia de me desejar um "Bom fds" quando eu sei que o vou passar a trabalhar... E depois ainda me olhem com estranheza e algum desdem porque eu tenho uma folga algures no meio da semana, e quando todos vão trabalhar eu fico a descansar... Nesses momentos, o olhar chega a ser tão fulminante que parece que estou a cometer um crime por ter um dia livre... mas esquecem, convenientemente, que quando todos andam a aproveitar o que a vida tem de melhor, alguns de nós estão a trabalhar...
Afinal todos temos direito a umas pausas para viver de algo que não o trabalho, ainda que seja em dias diferentes do que o habitual.... sejam feriados, fins-de-semana ou as minhas adoradas e sempre bem-vindas folgas...

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Verdades....

O que é a verdade? Será que algo é verdade apenas porque alguém nos disse que é?
E serão as minhas verdades igualmente verdadeiras para os outros?

Eles...

"Porque é que vocês nunca gostam deles?
Não consigo ainda responder a essa pergunta porque no fundo não acho que seja essa a questão mais importante....
A diferença está entre o gostar e o saber conviver, e no momento em que compreendemos essa diferença tudo se torna substancialmente muito mais fácil....
Ao contrário do que a maioria das pessoas poderá pensar eu não gosto ou deixo de gostar deles por invejar a sua posição que tantos têm como superior, mas eu pergunto a todos os outros se realmente o é....
Eles não são especiais, são apenas pessoas, e, como pessoas que são, não deveriam esquecer que estamos todos ao mesmo nível e nada os tornará superiores...
A verdade é que por os saber pessoas, sei que não tenho, e na verdade nem quero, gostar de todos eles, no fundo basta-me saber conviver com eles.... a nesse momento tudo se torna mais fácil...
Se eu não me sinto na obrigação de gostar de todas as pessoas, da mesma forma também não me sinto na obrigação de gostar de todos eles....
Da forma mais pueril e ingénua eu ainda acredito em pessoas boas, e por acreditar nisso sei que também neles existem pessoas boas.... e é dessas que não me importo de gostar...
Acreditar que eles não são nem melhores nem piores que eu não surge como forma de tornar mais importante aquilo que sou, porque se eles não são superiores nem inferiores eu também não o posso, nem o quero, ser...
No fundo talvez todas as palavras amargas que saem de mim não pretendam demonstrar que eu não gosto deles, apenas demonstram que acho plenamente escusado que tentem esconder os seus defeitos, já que são esses que os tornam humanos e não os semi-deuses que a maioria tenta ser...
Que importa se eu gosto ou não deles, não será muito mais importante compreender que eles, da mesmo forma que nós não o somos, não são perfeitos e é muito mais importante aprender a ser-se imperfeito que tentar ocultar as suas imperfeições...
Prefiro gostar das pessoas boas, aquelas que conseguem transformar cada pedaço da sua pequenez em algo muito maior..."
12 de Maio de 2008