quinta-feira, 26 de março de 2009

Dar... e receber...

Nas nossas relações com as pessoas que nos rodeiam, e que de uma forma ou de outra fazem parte da nossa vida, os actos de dar e receber são algo perfeitamente natural...
No entanto, será que é o equilibrio entre esses dois gestos que torna uma relação justa?
De que forma é que o facto de recebermos aquilo que nos é dado com espontaneadade, implica que nós próprios o façamos....
Na verdade existe no acto de dar uma prazer especial que não poderemos atingir no momento em que recebemos algo, mas onde está escrito que devemos de dar quando nos dão... ou que só receberemos depois de alguém ter recebido?
Não me sinto culpada quando vejo o brilho nos olhos daquele que decide me presentear com algo...
Sinto que não existem medidas para aquilo que damos ou que recebemos.... que não estaremos a ser injustos por receber algo.... e que o seriamos muito mais ou não recebermos por não podermos dar...
Se sei o quanto é bom dar... porque não posso simplesmente receber?

10 comentários:

Cris... disse...

Isto me fez pensar em quando queremos tanto dar...e não querem receber.

Tudo e nada.

najla disse...

Dependendo das relações, assim existe uma "obrigatoriedade" nesse acto. Nas relações de quem nos é mais próximo, damos, gostamos de dar e adoramos contemplar o brilho de quem recebe! Não existe uma obrigação de depois recebermos...porque damos sem esperar nada em troca. No entanto, não há ninguém que dê, sem esperar, um dia receber.
Faz parte da cumplicidade.

bjinhos

M. disse...

... aprender a receber é um processo de aprendizagem.

M.

PAULO LONTRO disse...

A generosidade de dar não é maior que a de receber.
Receber de alma aberta é um acto de amor e respeito por quem dá.
A maioria das pessoas gosta de dar ao contrário do que se pensa porque há um lado de prazer, nem que seja o prazer de ver os olhos dos que recebem.
Mas há os que não sabem receber, porque não têm o coração aberto a tal ou porque não entendem o acto de amor que está por trás da oferta.

spritof disse...

É tão bom dar pelo prazer de dar, como receber pelo prazer de quem recebemos.

São actos distintos e, creio, independentes.

No entanto, todos gostamos de receber algo, mais tarde ou mais cedo.

Não sei se deverá haver uma balança onde se possa verificar o equilibrio entre o que se dá e o que se recebe. Acho que isso é errado, e torna-se num "negócio".

Dá-se porque se dá, porque se gosta de dar e de quem recebe... sem troca necessária.

O que se recebe faz-nos bem, e talvez nos chegue a motivar de entusiamo de alguma forma mais ou menos intensa...
...mas não é o receber que nos motiva a dar, mas sim o prazer de dar a quem gostamos.

TM disse...

Cris - Sim eu sei o quanto é complicado gerir esse sentimento... sei-lo bem até demais... mas de alguma forma o facto de não quererem receber o que temos para dar faz desaparecer a magia e a vontade que temos de o fazer....

TM disse...

Najla - Mas esse dia não tem que ser hoje nem amanhã... será um dia... no momento certo...

TM disse...

M. - E uma das melhores aprendizagens que poderemos ter...

TM disse...

Paulo - "Receber de alma aberta é um acto de amor e respeito por quem dá.".......
Precisamente!!!

TM disse...

Spritof - Porque a balança que pesa o dar o receber nunca poderá encontrar um equilibrio, resta-nos simplesmente abraçar o momento e viver... a dar... e a receber...