terça-feira, 26 de agosto de 2008

Vicio....

Existem pessoas que são viciadas nas mais diversas coisas...
Os vicios podem até ser socialmente aceites, mas ainda assim não deixam de o ser, vicios... E por isso as pessoas vão se deixando envolver por eles, pelos vicios...
Mas da mesma forma que muitos se enredam nas teias do vicio, outros tantos descobrem o quanto o vicio vai destruindo a sua vida e procuram uma forma de se libertar do seu vicio... Alguns conseguem, mas outros, pela falta de vontade ou pela força com que o vicio os envolveu, não conseguem...
Talvez a parte mais importante desse processo de libertação seja aceitar que o vicio existe, e que vai existir sempre, que nunca se deixará de ser um viciado...

Um dia olhei-me no espelho, e fiquei perplexa com a forma como o meu vicio me fora destruindo, magoando, sufocando, e mais ainda, como eu o permitira...
O meu vicio não é daqueles que os outros vêm como tal, o meu vicio é uma pessoa, e o amor que senti por essa pessoa....
Como qualquer viciado, deixei-me levar pelo prazer que ia obtendo, sem perceber o quanto esse sentimento me ia destruindo...
Vivi o meu vicio intensamente, sem dúvidas, e ainda assim tão sufocada por elas...
Mas um dia, a vontade de me libertar tornou-se maior que o meu amor, e nesse dia o poder que o sentimento tinha mim perdeu a sua força, face à minha necessidade de viver...
Hoje vivo consciente que o que sofri faz parte da minha vida, a minha fragilidade face ao meu vicio é algo que aprendi a aceitar... Também aprendi que não quero amar um fantasma, que não vou alimentar um sentimento que me prendeu demasiado tempo...

A força não reside naqueles que não têm medo, mas sim naqueles que aprendem a aceitar os seus medos, as suas fragilidades, e as enfrentam, porque sabem que a sua vida não é feita de lágrimas e derrotas, mas sim de conquistas e sorrisos...
Eu aceito o que senti por ti, o quanto me deixei envolver pela força desse sentimento, mas não me vou render ao passado, ao fantasma de uma felicidade que nem sequer sei se existiu...

Foste o meu vicio, e de alguma forma sê-lo-ás sempre.... Mas a minha vida é muito mais que o meu vicio....

4 comentários:

PAULO disse...

Por vício nada vale a pena.
Li algures que se temos que fazer o pino para agradar a alguém o resultado só pode ser uma grande dor de cabeça...

Dudaninha disse...

E assim se evolui!

TM disse...

Paulo - Não pretendo fazer nada cujo único pressuposto seja agradar outra pessoa, no mínimo tenho o direito a usufruir de algo... Até porque no que diz respeito a relações sou demasiado orgulhosa...

TM disse...

Dudaninha - Li algures que de todas as pessoas com que nos relacionamos aprendemos algo, que no pior dos cenários é o que não queremos para nós...