terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Fúria...

"Por breves momentos apodera-se de mim a miragem do mais estonteante dos oásis que povoam este deserto....
Agonizo na doce inquietude que me domina....
Na minha pele sinto a tensão que apenas o teu toque consegue serenar....
Descubro no teu corpo a essência dos anseios que me atormentam...
O ensurdecedor som deste trovão que nasce em nós é o mais leviano dos sinais da tempestado que os nossos corpos tentam recriar....
Nos teus olhos encontro o ímpeto que os meus lábios te sussurram....
Com os meus dedos percorro o teu corpo ardente....
Permito que o arrebatamento que me atormenta se apodere dos nossos corpos ao ritmo da loucura que nos corrói....
Reinventamos no vórtice do desassossego a que nos entregamos a farsa que ludibria as almas alheia....
Ilusóriamente satisfeitos permitimos que se atenuem os olhos dos outros o desejo que em nós apenas se recria e renasce...."

14 de Janeiro de 2008

2 comentários:

Aralis disse...

Simplesmente fantástico!
Obrigada pela sublime leitura.
bjunfa

TM disse...

..........
Thanks.....