segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Distância...

Ele... sabes que há uma grande vantagem na tua situação
a distância
Eu... como assim?
vantagem????
que raio de vantagem é essa
Ele... a distância custa mas é muito importante para reforçar os afectos
Eu... sim eu compreendo
se sentes a falta de alguém algo se passa
Ele... pois é isso

10 comentários:

spritof disse...

Não considero uma vantagem, mas antes uma prova.
Por outro lado, pode-se olhar este tipo de questões de vários ângulos...uns positivos, e outros menos positivos.
Como positivo destaca-se o já evidenciado...
Como menos positivo, a dúvida, o imaginário...até que ponto a distância não acaba por ser preenchida por criatividade, por uma criação do que não somos, e que depois de confrontada a realidade, como ficam essas imagens imaginárias?
É certo que esse imaginário existe com e sem distância física, no entanto...não será o convivio permanente, constante ou frequente, uma forma de diminuir a possibildade desse imaginário ser tão diferente da realidade.
E no entanto continuamos a ver casais todos os dias, a viverem no mesmo espaço e a partilharem a mesma cama, que nada sabem um do outro, que em nada se reconhecem...perfeitos estranhos um ao outro.
Não é uma vantagem...é uma prova...mas uma prova cuja duração a torna cada vez mais dura e dificil de digerir.
Mas...nada é impossível!

Ianita disse...

Concordo com o Spritof. É uma prova, assim como a proximidade também é uma prova. E a maoria não sobrevive nem a uma nem a outra...

Kiss

TM disse...

Spritof - Nada é impossível, mas algumas coisas tornam tudo mais dificil....

TM disse...

Ianita - Mas aqueles que sobrevivem marcam a diferença...!!!!

Vício disse...

ele estava a falar de afectos por quem?

TM disse...

Vicio - Pelo Pai Natal.... ;)

PAULO LONTRO disse...

tm, gostei da resposta à iani, acho que é isso que está subjacente nas palavras de Ele...

sol* disse...

Às vezes a distância é também a melhor desculpa para duas pessoas continuarem a manter uma ligação... A distância também serve para ludibriar os afectos...
E sentirmos a falta de alguém não significa necessariamente gostar... Por vezes as dificuldades com a proximidade/intimidade encontram na distância uma certa solução...

TM disse...

Paulo - Pois... era... pelo menos foi o que eu entendi... :)

TM disse...

Sol* - Sim, também é um facto... Na verdade só vemos aquilo que qeremos ver, seja qual for a distância que nos separe daquilo que supostamente veriamos...