terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

O maravilhoso mundo das relações...

"Kept playing love like it was just a game
Pretending to feel the same
Then turn around and leave again

... como se fosse apenas 1 jogo
fingindo sentir o mm
e dps voltar as costas e sair novamente....

Ontem fui sair com amigos.... e ao ouvir estas palavras dei por mim a pensar no maravilhoso mundo das relações... (ou ralações???!!!)
Provavelmente é defeito pessoal mas há coisas que não entendo... e acima de tudo que não me fazem sentido...
Não é da minha longa lista de relacionamentos que retiro estas questões e conclusões, mas talvez porque penso demais surgem-me muitas dúvidas.
É inevitável a necessidade do ser humano em ter uma companhia ao seu lado, ou pelo menos o desejo que tal seja real, mas a que preço isso acontecerá?
Não pretendo que pensem que sou descrente em relação, mas não compreendo a atitude de muito boa gente que por aí se passeia. Acima de tudo acho que deveria ser feita uma separação entre aquilo que são realmente relações e aquilo que é um deixa andar....
Lembro-me de ainda no outro dia estar a falar com um casal conhecido que me levantava o problema de porque as mulheres agora estarem solteiras... Bem na verdade eles são professores e ligavam esta "preocupação" com o facto de desta falta de relações advir naturalmente uma diminuição das crianças que nascem para propagar a espécie.... lol...
Mas na realidade é completamente compreensível a sua apreensão....

Será q nós descobrimos que vai uma longa distancia entre ter alguém e ter um companheiro, e sendo que naturalmente procuramos uma companhia não estamos pra nos dar ao trabalho de aturar um qualquer só para ter alguém ao nosso lado, que na verdade nem está realmente ao nosso lado?

....como se fosse apenas 1 jogo
fingindo sentir o mm
e dps voltar as costas e sair novamente....

Ao pensar em tudo isto algo me salta à vista... Porque esta falta de frontalidade? Qual é a dificuldade das pessoas em assumirem que tem alguém ao seu lado apenas para satisfazer certas necessidades que não implicam necessariamente um companheiro.
Ok, mas vamos lá ser honestas e assumir que a "culpa" de tudo isto não é apenas do maravilhoso sexo frágil!
Sim, porque os brilhante elementos do sexo oposto também tem por hábito deixar-se envolver nesta tão conveniente farsa...
Não seria tão mais simples se todos nos tivessemos a coragem para assumir aquilo que realmente queremos... porque existem os homens que apenas nos interessam para ter alguém e não são necessariamente os companheiros que desejamos!!!
Mas é tão mais fácil não é?

"Só estás sozinha porque queres, porque tu podes ter qualquer homem que quiseres!"
Mas será q quero....
Para que o quero eu?
Porque posso ter um qualquer... mas será que vale a pena?
Não tenho assim tanto jeito para dramas e representação, para andar a viver uma farsa e como um amigo meu me disse uma vez esta coisa dos amigos coloridos tem muito que se lhe diga....
Mas não deixa contudo de me fazer imenso prurido cognitivo esta farsa que tantos se deixam representar, porque assim têm alguém mesmo não tendo alguém ao seu lado...
Neste maravilhoso mundo das relações é tão mais fácil fingir sentir o mesmo até ao momento de voltar as costas e sair até que a próxima farsa nos una a alguém...

Quem ler isto pensará que sou descrente, q não amo, q não acredito, mas isso não é verdade!
Eu acredito nas relações (nas verdadeiras relações), eu amo e também espero o momento em que terei um companheiro, mas não será 1 qualquer, porque como já disse não tenho jeito para farsas.
Não tenho jeito pra fingir, eu também gosto de perguntas e respostas directas, de frontalidade, e por isso prefiro não ter nada a ter algo que não seja real....

... como se fosse apenas 1 jogo
fingindo sentir o mesmo
e dps voltar as costas e sair novamente...."
19 de Maio de 2007

2 comentários:

M. disse...

Embora possamos não convergir em certos aspectos, de forma geral concordo contigo. Mas penso que não são só as mulheres que estão solteiras, também existem homens na mesma situação, em que ter alguém fingindo e para esconder os seus medos, principalmente o medo à solidão, não faz sentido. Faz mais sentido ter presente aquilo que se quer sentir e não viver na repressão do fingimento, só porque sim. Afinal a autenticidade fará parte dos pilares de um amor mais puro!

M.

TM disse...

M.- Sim a autenticidade é uma das essências do amor... :)