segunda-feira, 22 de setembro de 2008

A Bela e o senão...

"Numa sociedade em que o culto da beleza se transformou num dos vectores que mais força parece ter para mover qualquer ser humano sinto-me surpreendentemente satisfeita por me sentir menos bela.....
Sim, porque preenchem páginas e páginas de incontáveis publicações essas tão pouco verdadeiras bonecas de porcelana que tal como as suas homónimas são demasiado ocas para serem tomadas por minimamente interessantes.....
Na verdade não posso criticar a perseguição do belo, pois é tão notório o seu impacto na nossa vida que seria demasiada estupidez tentar ignorar tal factor da existência do ser humano, mas aquilo que realmente me deixa qb desiludida é a falta de tentativas de preencher esses tão glamourosos bonecos com algum conteúdo que os torne em algo verdadeiramente interessante....
Será possivelmente uma utopia imaginar que caminhe por ai algum boneco de tal espécie, em que para além da imagem que cativa o nosso olhar exista o conteúdo que convença e desafie a mente mais enigmática....
Então ser-se perfeitamente imperfeito é algo imensamente mais cativante e mais INTERESSANTE......"

16 de Abril de 2008

12 comentários:

spritof disse...

A beleza exterior é dominada pela beleza interior, digo eu.

De facto, existe uma exploração indecente, e indecente no sentido em que esquece tudo o resto de real valor, na beleza exterior, culminando na escravidão dos corpos e na desagregação das mentes.

É óbviamente natural e saudável o procurar ser-se bela/o exteriormente, mas julgo que essa procura deverá sempre contemplar em grande medida a beleza interior de cada pessoa, em que de uma forma ou de outra transparece sempre à superfície.

Reparem que já os gregos diziam "corpo são, mente sã", em que, sub-entendo eu, o "culto" do físico não tinha como objectivo ser-se unicamente belo, mas sim o propósito de ajudar a mente a atingir o seu potencial. Tratar do corpo passa assim a ser uma forma de o tornar saudável, eficiente, flexível, incorporando o desenvolvimento mental nesse complexo processo, tornando a beleza exuberante como um todo, e não em parte.


(estou a voltar aos textos longos!)

TM disse...

Naturalmente que é compreensível que se procure o bem estar que o nosso corpo nos pode proporcionar... o problema é quando as pessoas se esquecem que não mais que um corpo...

spritof disse...

exacto!

Dudaninha disse...

Concordo!

TM disse...

E será que somos os suficiente a pensar assim?

TM disse...

E será que somos os suficiente a pensar assim?

TM disse...

E será que somos os suficiente a pensar assim?

TM disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
spritof disse...

riscaste o disco, houve algum problema no blog, ou isso é uma forma de reforçar a pergunta?

acho que somos bastantes a pensar assim, mas somos menos a agir assim.

a influência, ou melhor, a capacidade de persuasão da indústria e a nossa mania de sermos ovelhas...

TM disse...

Better?

spritof disse...

all better!

Anónimo disse...

Sim , posso concordar na medida em que considero que a obcessão por um protótipo de beleza pode chegar ao absurdo, levando as pessoas a gastar quantias desmesoráveis de dinheiro, para além de dos sentimentos depressivos, da presunção e, claro, de perderem a noção da realidade em que vivem e que é, sem dúvida alguma, mais complexa do que a perfeição fisica (e tenha-se em atenção que esta nunca é plena, pois é finita espacial e temporalmente _ na China não é considerado belo, aquilo que, na América, o é, de facto.
Mas agora contradigo: mesmo a tão conhecida Barbie (ideal de beleza imitado por muitas raparigas adolescentes) surgiu como instyrumento brutal para a emancipação feminina, representa não só a mulher que é bela e sensual, mas também a mulher como Mãe, a mulher profissional, com uma carreira e um papel importante na sociedade... Só porque alguém é bonito, não quer dizer que seja inculto, e, aliás, todos nos preocupamos com a nossa aparência, mesmo aqueles que se querem mostrar despreocupados em relãção a ela, esforçam-se para parecerem assim... porque o teu ideal de beleza e perfeição pode ser igual ou diferente do meu, e porque à imperfeições que considero geniais e outros que são medonhas!

Mas sim, em parte tens razão. ^o^'


by Morganna Apolinário