terça-feira, 9 de setembro de 2008

Compromisso...

"Aqui no meu mundinho piquinino, olho em redor e sinto que a minha liberdade se vai tornando a cada dia na minha melhor companhia....
Como é óbvio não pretendo assumir a postura ignorante de aberração da natureza, fazendo-me passar pelo um ser a quem a componente social não desperta o miníno interesse....
Contudo, neste momento da minha vida em que todos em meu redor parecem ter escolhido aliar a sua vida a outra pessoa, questiono-me sobre a minha normalidade, fragilizada pelo supremo prazer que me proporciona a minha liberdade...
Ao longo da nossa vida é suposto percorrermos um determinado caminho, que alguém delineou para nós, ainda antes mesmo de nascermos, mas e quando no motivam as opções inesperadas, a sensação de nos tornarmos num animal exótico, que simplesmente deseja saborear a sua liberdade é demasiado forte para ser ignorada....
Não pretendo com tudo isto assumir uma postura de quem não acredita na felicidade partilhada, mas ainda assim considero de uma fenomenal injustiça escolher alguém para justificar este ou aquele sonho estilhaçado...
Ao longo da minha curta vida, as pessoas com que partilhei os meus momentos de felicidade, tornaram esses momentos ainda mais memoráveis, mas questiono-me se a inexistência de alguém a quem escolhi entregar a minha vida inviabiliza esses momentos, ou porventura os torna menos felizes...
Quando decidimos comprometer a nossa vida a outra pessoa, tornamo-nos mais felizes?
E será que no momento em que entrego a minha felicidade ás mãos da minha liberdade torno-me menos feliz?
No momento em que todos decidem assumir um compromisso perante outra pessoa, eu escolho-me a minha mesma para companhia de alegrias e tristezas, de saúde e doença, e acima de tudo escolho-me a mim para desfrutar da minha anormalidade... da minha liberdade...."
3 de Agosto de 2008

5 comentários:

spritof disse...

O importante é que te sintas bem com a opção que fizeres, sem preocupações com o que outros esciolheram, porque cada um é um caso.
Um dia vais ter de tornar a decidir, se te mantens solo ou se te juntas a mais um(a)...
...e, seja qual for a tua opção nesse momento, vai ser tão natural quanto a tua sede!

TM disse...

Sei por experiência que algumas pessoas conseguem mudar em alguns momentos todas as nossas certezas, são aquelas pessoas que sabemos e sentimos que fazem parte de nós... as que nos dizem: parece que te conheço desde sempre....
Talvez seja isso o amor, a naturalidade de pertencer a alguém, sem esforço, sem medos, sem dúvidas...

spritof disse...

talvez seja isso a sintonia, a harmonia...bem, porque não o amor?

Paixão e amor são, afinal de contas, coisas diferentes!

:)

O maltês disse...

De José Régio

"Vem por aqui" — dizem-me alguns com os olhos doces
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui!"
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...
A minha glória é esta:
Criar desumanidades!
Não acompanhar ninguém.
— Que eu vivo com o mesmo sem-vontade
Com que rasguei o ventre à minha mãe
Não, não vou por aí! Só vou por onde
Me levam meus próprios passos...
Se ao que busco saber nenhum de vós responde
Por que me repetis: "vem por aqui!"?


Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí...
Se vim ao mundo, foi
Só para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
O mais que faço não vale nada.


Como, pois, sereis vós
Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem
Para eu derrubar os meus obstáculos?...
Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,
E vós amais o que é fácil!
Eu amo o Longe e a Miragem,
Amo os abismos, as torrentes, os desertos...


Ide! Tendes estradas,
Tendes jardins, tendes canteiros,
Tendes pátria, tendes tetos,
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios...
Eu tenho a minha Loucura !
Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...
Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém!
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.


Ah, que ninguém me dê piedosas intenções,
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou,
É uma onda que se alevantou,
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
Sei que não vou por aí!

spritof disse...

nem mais!