domingo, 28 de setembro de 2008

Perguntas...

Um dia alguém me disse que a melhor forma de não se ficar desiludido é não esperando nada... Mas em que momento é que poderemos dizer concretamente que não temos expectativas?
Será efectivamente possível ficar à espera sem esperar nada?

10 comentários:

PAULO disse...

tm, eu colocaria uma nuance neste raciocínio.

- Eu espero o nada e espero o tudo!

Se assim for a questão não se põem e as possibilidades da desilusão são quase nulas, repara que esperas pensando que pode não acontecer nada e pode acontecer tudo.
Claro que podes ficar mais ou menos triste com o resultado mas ao colocar a possibilidade de que te aconteça tudo ou nada dá-te um equilíbrio emocional superior.
Paradoxalmente, quem tem medo sempre espera o nada e o tudo mas o tudo é na vertente negativa. Há pessoas que antecipam de tal maneira os problemas que os vivem mesmo antes de eles acontecerem… e o mais terrível é que eles, problemas, podem nem acontecer e é o que acontece normalmente.

TM disse...

Mas ainda que esperes o tudo e o nada, esperas sempre algo... e o facto de esperares esse algo torna possível a frustração...

spritof disse...

A arte da "adivinhação" é algo que se desenvolve pela experiência.

A esperança é a última a morrer, segundo dizem, e o truque é afinar a precisão dessa esperança.

Mas se nada se esperar, então porquê viver?

TM disse...

Spritof - E por isso a minha pergunta... porque se esperamos sempre algo, como poderemos não ter expectativas?

spritof disse...

ok...

Temos necessariamente de ter expectativas. Não sei se o mais certo é expectar o bom e o mau, ou o tudo e o nada. Sei que é bom estar-se preparado para o que der e vier...mas isso não é uma expectativa, é uma segurança.

Por exemplo, esta minha resposta estará, certamente aquém da tua expectativa (ou se calhar, não! consoante a tua opção de expectar)...
...mas de certeza que estás preparada para isso... ...está sujeita à aprovação prévia, por exemplo.

Julgo que será impossível não ter expectativas. Ou então não seríamos humanos.

Deveremos, isso sim, ser capazes de encaixar qualquer resultado que advenha, e aceitá-lo ou saber dar-lhe a volta, ou extraír o que houver a extraír, aprender, mesmo que não corresponda à expectativa (ou expectativas), encontre-se esse resultado aquém ou além da expectativa.

Por vezes, até nos maiores falhanços, e, neste caso, no maior defraude da expectativa, é possível extrair grandes lições, ou outros ganhos, ou...

TM disse...

Spritof - E curiosamente a tua resposta veio de encontro ao que penso, somos humanos porque temos expectativas, mas assim como somos humanos também devemos ser sensatoso o suficiente para saber que as expectativas são nossas, e os outros nem sempre corresponder àquilo que esperamos...
Esperaremos sempre algo, mas que o façamos com sensatez!

Vício disse...

uma forma de explicar isso é falando nos sonhos!
qualquer pessoa deve viver com sonhos mas não viver de sonhos!

najla disse...

Quem me disser que não está à espera de nada, enquanto espera, eu não acredito!
Não acredito que qualquer ser não tenha o minimo de expectativa ou que por vezes o pensamento recaia sobre o que espera!´
Eu serei suspeita, pois crio sempre expectativas, umas maiores, outras menores, umas boas, outras más! Mas crio!

TM disse...

Vício - Mas existem aí uma diferença que ainda que sendo pequena é muito grande, e as pessoas muitas vezes perdem-se na subtileza dessas pequenas grandes diferenças...

TM disse...

Najla - Todos criamos sempre expectativas, podemos querer ou não assumi-lo, mas a verdade é que o fazemos...