sábado, 6 de setembro de 2008

Special Persons...

Ele... quem perdeste?
Eu... várias pessoas, de formas diferentes...

A nossa vida não teria o mesmo significado se não fosse preenchida pelo companhia daqueles que amamos, algo que é tão verdade para os momentos de felicidades, como para aqueles em que a vida parece querer trocar-nos as voltas...
Recordar dessas pessoas especiais é algo que pode ser sublime ou extremamente doloroso, dependendo da forma como as recordamos....
E afinal, o que é que é transforma essas pessoas em especiais? Um gesto, um laço familiar, um momento partilhado? E mais intrigante ainda, como é que algumas pessoas deixam de o ser...
Como é que se pode explicar o afastamento de alguém que durante tanto tempo pensei que me conhecia tão bem como eu própria, alguém com que partilhei tantos momentos da minha vida que lhes perdi a conta, alguém em que confiei cada pensamento e sentimento, estaria enganada? E, sem que fosse sequer tida em conta a minha opinião perdi alguém...
Mas será que a nossa opinião conta, por mais importantes que elas sejam para as nossas vidas e nós para a delas, no destino que essas pessoas escolhem para a sua vida? Mais ainda, será que a nossa opinião conta para a nossa própria vida?
Como é que se consegue justificar o desaparecimento daquela mulher que tanto admiro, como é que se explica a saudade e a dor de não a ter ao meu lado, apesar de saber que estive ao lado dela até ao fim.... Se a morte manda e desmanda, e no tira aqueles que amamos, como podemos nós no sentir seguros de os ter....
Sim a nossa vida é ainda mais especial quando temos pessoas especiais com quem a partilhar.. Então não seria apenas justo que essas pessoas permanecessem sempre junto de nós?
Mas na vida aquilo que damos, nem sempre é a medida do que recebemos, e por isso para algumas pessoas que são para nós especiais, nós somos para elas menos importantes que aquilo que desejaríamos, e aí, aprendemos que as pessoas especiais nem sempre são aquelas que prendemos nas nossas mãos, nos nossos braços, mas aquelas que deixamos viver no nosso coração...
Apesar de não ser sempre um exercício simples e desprovido de esforço, aprender a conviver com as pessoas que são para nós especiais é algo que poderá ser muito gratificante....
Lembrar aqueles que amámos e amaremos sempre....
Amar os que nos amam....
E aceitar que não somos amadas....

As pessoas especiais são aquelas que o nosso coração, contra todas as regras e expectativas, elege para partilhar as desventuras da vida, e aquelas que quando deixam de estar ao nosso lado recordamos os doces momentos partilhados, deixando no passado que eles não existiram sempre...
Perdi algumas pessoas, mas acima de tudo tive-as ao meu lado, e isso, contra todas as lágrimas que por vezes sufocam a minha alma, é o que mais importa, é o que permanece, o quanto as amei, e o quanto elas são especiais... sempre o serão...

7 comentários:

spritof disse...

Não sei quem tu és, mas gosto de ti.

Vou-te conhecendo, aos poucos, com serenidade, mas com a mesma espectativa de uma criança a desenbrulhar uma prenda de natal.

Posso nem sempre convergir no teu sentimento, mas tens alma, e quem tem alma tem a minha admiração.

:)

TM disse...

Hoje alguém me disse que não me dou a conhecer, mas que dou muitas pistas... talvez seja para que os interessados se mantem assim, com interesse...

spritof disse...

:)

TAMAR disse...

Talvez os interessados não te queiram conhecer apenas pela simplória "CURIOSIDADE" mas sim pelo prazer de te conhecerem melhor e aprenderem com mais uma interessante experiencia de vida ...
Será que queres fazer "enredo" ou partilhar as tuas experiencias com as experiencias que outros também possam partilhar contigo ?

TM disse...

A partilha de experiência é tendecialmente algo interessante e benéfico...
Mas a capacidade que tenho em me dar a conhecer não é necessariamente proporcional à vontade que alguém terá em me conhecer...
Tudo demora o seu tempo, e quando as coisas surgem no seu momento, a naturalidade com que acontecem torna-as mais verdadeiras...

TAMAR disse...

Concordo com o que dizes !
Mas acredito que o que move quem te lê não é a "CURIOSIDADE".

TM disse...

Então o que é?